Coluna de Antônio José Larangeira de 15 de julho de 2009

Antônio José Larangeira.
Antônio José Larangeira.

Em virtude do Supremo Tribunal Federal ter acatado, o voto do ministro Gilmar Mendes considerando inconstitucional a exigência do diploma de curso superior para atuação profissional no Jornalismo, com aprovação dos outros 7 ministros, a Federação Nacional dos Jornalistas está lançando uma campanha em todo país, em defesa da profissão intitulada “8 contra oitenta mil… contra 180 milhões”.

Num anuncio que estará veiculando nacionalmente está o seguinte texto: “Humilha a memória de gerações de jornalistas e irresponsavelmente, revoga uma conquista social de mais de 40 anos. Em sua lamentável manifestação, Gilmar Mendes defende transferir exclusivamente aos patrões a condição de definir critérios de acesso à profissão. Desrespeitosamente, joga por terra a tradição ocidental que consolidou a formação universitária para profissionais que prestam relevantes serviços sociais. Os oito ministros do STF demonstraram não saber o que é Jornalismo. Mais uma vez confundiram liberdades de expressão e de imprensa e direito de opinião com o exercício de uma atividade profissional especializada, que exige sólidos conhecimentos teóricos e técnicos, além de formação humana e ética. Porque cumpre, sim, função de interesse público.

A Federação Nacional dos Jornalistas esclarece que a decisão do STF eliminou somente a exigência do diploma para o acesso à profissão. Permanecem interados os demais dispositivos da nossa regulamentação. O registro profissional, no Ministério do trabalho, continua sendo condição ao exercício do Jornalismo. Mantemos nossas conquistas históricas, como os pisos salariais, a jornada diferenciada de cinco horas e a criação dos cursos superiores de jornalismo. Em que pese o duro golpe na educação superior, os Cursos de Jornalismo vão prosseguir capacitando os futuros profissionais e, certamente, continuarão a ser a porta de entrada na profissão para a grande maioria dos jovens brasileiros que sonham em se tornar jornalistas. A FENAJ assume o compromisso público de seguir lutando me defesa da regulamentação da profissão e da qualificação do Jornalismo. Está tomando todas as medidas para rechaçar os ataques e iniciativas de desqualificar a profissão, impor a precarização das relações de trabalho e ampliar o arrocho salarial existente.

Lino sessentão

Aconteceu ao meio dia de sábado último, no Sitio Marocas, em Jaiba, almoço em comemoração pelos sessenta anos do empresário Lino Carneiro, oportunidade em que esteve reunida muita gente da sociedade feirense.

Diploma

Foi agraciada com o diploma de Amiga do 35º. Batalhão de Infantaria do Exercito, em solenidade realizada nesta feira, a escritora Lélia Fernandes, diretora do Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana.

Reparo

Na legenda veiculada nesta coluna,  da edição do dia 30 de junho , “O escritor Carlos Alberto Kruschewsky que louvou o poeta Eurico Boaventura, pelo seu centenário”, foi por engano, colocada abaixo da foto do engenheiro Carlos Alberto Kruschewsky Filho, quando deveria ser do seu  pai médico e intelectual Carlos Alberto kruschewsky. Feito o reparo.

Sobre Antonio José Larangeira 3182 Artigos
Antonio José Larangeira nasceu em 11 de janeiro de 1945, é natural de Santo Amaro da Purificação (BA), é formado em Administração, pela Faculdade Anísio Teixeira (FAT). Atua como jornalista profissional, com registro nº 514 (SINJORBA/FENAJ) e publica coluna diária nos jornais Grande Bahia, Pátria Latina e Tribuna da Bahia. E-mail: ajlarangeira2@hotmail.com.