TCM aponta desvio de R$ 10 milhões em Ministério comandado por Geddel

Geddel Vieira Lima: O governo do PT deixou uma herança muito ruim, um déficit público imenso, dívida pública, gastos mal feitos. Mas, eu percebo claramente que o país, agora, com as primeiras medidas de austeridades do presidente Temer, começa a resgatar a confiança.
Geddel Vieira Lima: O governo do PT deixou uma herança muito ruim, um déficit público imenso, dívida pública, gastos mal feitos. Mas, eu percebo claramente que o país, agora, com as primeiras medidas de austeridades do presidente Temer, começa a resgatar a confiança.

Em reportagem publicada no dia 4 de março de 2009, na página número 54, a revista Veja apresentou um esquema intitulado “A Roda da Fortuna”. Nela é discorrido o funcionamento de uma sociedade secreta que teve como objetivo, o desvio de recursos financeiros do contribuinte brasileiro para embolso de políticos e partidos.

O Ministério da Integração Nacional, comandada pelo baiano Geddel Vieira Lima, foi responsável pela licitação de R$ 78 milhões, para construção da Barragem no Rio Pratagy, em Maceió, que tem por objetivo melhor o abastecimento de água potável no estado.

A CGU (Controladoria Geral da União) identificou superfaturamento na construção da barragem, da ordem de R$ 10 milhões. A PF (Polícia Federal) produziu relatório em que aponta o direcionamento da licitação por servidores públicos ligado ao PMDB (Partido da Mobilização Nacional).

Na matéria a revista Veja aponta como origem da corrupção o Ministério da Integração Nacional , o senador Renan Calheiros, Roseana Sarney, Romero Jucá e Valdir Raupp (políticos com mandato no PMDB), como envolvidos em um suposto esquema de desvios de recursos públicos.

O senador pernanbucano, Jarbas Vasconcelos, em recente pronunciamento na tribuna do Senado Federal, denunciou que o seu partido, PMDB, estava seriamente, envolvido em corrupção, “não preciso dizer nomes, todos os dias, a imprensa os notícias”, declarou ele.

Sobre Carlos Augusto 9514 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).