Candidatura de Geddel coloca em xeque o apoio de Colbert a Wagner

Logomarca do Jornal Grande Bahia.
Logomarca do Jornal Grande Bahia.

Manchete veiculada na Tribuna da Bahia, ontem, “Geddel admite que é candidato ao governo”, assinada pelo jornalista Jânio Lopo, coloca a política baiana em alerta. Nos bastidores, soube-se que o governador Jaques Wagner teria dado início à discussão sobre o tema com seus principais auxiliares, o que resultará em mudanças em seu secretariado.

Mas pelo visto, estas mudanças terão repercussões políticas principalmente em Feira de Santana, onde o deputado federal Colbert Martins Filho (PMDB), tem calcadas as suas bases políticas a qual herdou de seu pai Colbert Martins. Este com uma forte participação política na região que o conduziu ao cargo de chefe do executivo em duas oportunidades.

Diferentemente de seu pai, o deputado tem tido um comportamento arredio junto à população, além de fazer uso de um expediente considerado pouco ético, procurando atender interesses pessoais abandonou o seu partido de origem e migrou para o PPS, onde permaneceu por algum tempo para em seguida retornar ao PMDB.

Importante observar que enquanto membro do PPS, o deputado adotou postura anti-petista. Durante o expediente da Câmara ele a utilizava para criticar o presidente Lula. Enquanto na Bahia, mais especificamente em Feira de Santana, onde desenvolvia a campanha para sua reeleição fazia loas ao presidente tendo como objetivo auferir dividendos políticos com a popularidade do mesmo.

De volta ao PMDB, o deputado se depara com um novo dilema. Durante a sua campanha para prefeito em 2008, ele volta a utilizar a imagem do presidente, associada ao do governador Jaques Wagner. Mesmo tendo se utilizado desta estratégia, não conseguiu lograr êxito em seus objetivos.

O grande questionamento que se faz na atualidade é qual será a postura adotada pelo deputado neste novo cenário político baiano. Para os analistas de plantão, não há muitas alternativas para o deputado. Por uma questão de fidelidade partidária, ele terá que apoiar o seu companheiro de partido Geddel Vieira Lima. Há quem afirme que o deputado não terá dificuldades para se adaptar a nova ordem, uma vez que as mudanças sempre foram uma constante ao longo de sua trajetória política.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9394 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).