Santo Antônio Além do Carmo

No extremo norte do Centro Histórico de Salvador – Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO – está situado o bucólico bairro do Santo Antônio Além do Carmo, com função eminentemente residencial no casario distribuído por logradouros de interessantes denominações como Praça dos Quinze Mistérios, Quitandinha do Capim; ruas dos Ossos, dos Perdões, dos Adobes, dos Carvões…

O bairro possui grandes e belas igrejas barrocas, tais como as igrejas de Nossa Senhora do Boqueirão, Nossa Senhora dos Perdões, Nossa Senhora dos Quinze Mistérios e de Santo Antônio.

A majestosa Igreja do Santíssimo Sacramento, localizada aos pés da Ladeira de Água Brusca, nos limites do bairro do Santo Antônio, também é parte integrante deste conjunto de edificações históricas e de interesse arquitetônico.

No tranqüilo Largo do Santo Antônio ainda se encontra um raro coreto. Ali se celebram importantes festas populares ao santo padroeiro e ao Divino Espírito Santo. Durante esta festa, de herança colonial, é encenada a coroação do menino imperador, que “indultava” prisioneiros de bom comportamento, detidos logo ali, no Forte de Santo Antônio, que teve a função de Casa de Detenção até a década de 1960, quando foi desativada.

O Forte de Santo Antônio Além do Carmo é um importante exemplar da arquitetura militar brasileira, construção do século XVII. Após suas dependências servirem como Casa de Detenção, sediou uma instituição denominada Centro de Cultura Popular. Foi restaurado no ano de 2006 para se tornar o Forte da Capoeira, isto é, abrigar escolas de capoeira, que já era a sua destinação antes da reforma. O Forte se constitui em um ótimo lugar de visitação.

O bairro do Santo Antonio teve moradores ilustres, como o cantor e ex-ministro Gilberto Gil. Certamente foi ali que ele conheceu “uma garota do Barbalho, uma garota do barulho…” no tempo em que “Lessa era o goleiro do Bahia…” devido as conexões existentes entre os dois históricos bairros.

Pode-se dizer que o Santo Antônio é o berço do carnaval do Centro de Salvador. Importantes agremiações ali tinham as suas sedes e faziam o cortejo pela Rua Direita.

Os Corujas, Internacionais, Os Lordes, Afoxé Filhos de Gandhy… desfilavam pelas suas estreitas ruas em direção ao Pelourinho, Rua Carlos Gomes, Campo Grande e Avenida Sete.

Na Rua Direita do Santo Antônio, 130, morava minha Avó Sinhá. A partir dos 1980, do antigo casarão de saudosa lembrança, só restou a fachada principal, com o edifício totalmente arruinado.

Mas o Santo Antonio não é só passado ou “fotografia pendurada na parede”, da qual falou o poeta Drummond sobre a sua Itabira natal.

O bairro do Santo Antônio hoje é o novo vetor de expansão turística e renovação urbana do Centro Histórico.

Inicialmente, o local de interesse turístico descoberto por novos moradores e investidores foi o bairro do Carmo. Nele há uma concentração de comércio e serviços de apoio ao turismo, na forma de bares, restaurantes, mercearias, ateliês, galerias e algumas das mais sofisticadas joalherias da cidade.

Muito colaborou para a dinamização da área a reinauguração do luxuoso Hotel Convento do Carmo, para turistas com alto poder aquisitivo.

Neste trecho da área tombada, imediações da Cruz do Pascoal, concentram-se a maioria das mais de trinta pequenas pousadas voltadas para o público estrangeiro que valoriza o turismo cultural. Uma babel de línguas ali faladas confirma esta realidade.

Nota-se o aquecimento imobiliário do bairro com o aumento do número de placas anunciando imóveis à venda.

Ah e o antigo casarão da Rua Direita do Santo Antônio, onde residia a minha querida vovó junto as belas e loiras tias, hoje abriga uma sofisticada pousada ornada por bonitas peças do artista plástico baiano Bel Borba.

O tour saudosista que costumo fazer com parentes e familiares pelo Centro Histórico de Salvador inclui uma visita ao bar situado no andar térreo da pousada, de onde desfrutamos um gostoso cafezinho e a vista da Baía de Todos os Santos.

Visitem o bairro do Santo Antônio Além do Carmo.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Juarez Duarte Bomfim
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]