Rádio, prestígio e poder | Por Renato Ribeiro

Renato Ribeiro da Silva, profissional da imprensa de Feira de Santana.Renato Ribeiro da Silva, profissional da imprensa de Feira de Santana.

O rádio em Feira de Santana, nos últimos anos, vem se destacando como um dos veículos de comunicação com maior prestígio na cidade. A facilidade em popularizar as informações, torna este meio um importante vetor e elo de ligação entre as autoridades e o povo. Inegavelmente, os profissionais que se dedicam na labuta diária deste meio de comunicação de massa, passam a usufruir de credibilidade e respeitabilidade junto a sociedade, pois decisões são tomadas a partir do contato entre os radialistas e as pessoas nos mais diversos bairros da cidade.
Do prefeito ao vereador, além das lideranças nas comunidades, todos sabem que sem o rádio seria impossível fazer reivindicações e atender aos pleitos dos cidadãos mais necessitados. Trata-se de uma prestação de serviço inestimável o trabalho feito pelos radialistas, todos, cada um ao seu estilo, incomodando é claro a elite burguesa, que considera este meio ultrapassado.

O sucesso e o crescimento do rádio incomoda àqueles que não compreendem a maravilha da interação deste fantástico instrumento de comunicação e o mais humilde ouvinte. Como não poderia deixar de ser, muitos radialistas, através de uma postura respeitosa e carismática, conquistam a vitória e o crescimento, se tornando grandes empreendedores.

Prestígio e poder não se impõe, se conquista com trabalho e dedicação. Se para isso for preciso que algum radialista venha participar da administração de uma cidade como Feira de Santana, creio que seja motivo de orgulho contribuir de forma honesta, digna e transparente de uma gestão, afinal todos sabem, principalmente aqueles que passaram pela faculdade de jornalismo que não existe imparcialidade. Devemos ser isentos ao noticiar os fatos, de resto, é mera hipocrisia de quem prega por aí que é obrigado não ter ou não poder manisfestar seu lado político-partidário, todos tem seu lado bem definido. Inclusive, esta turma que tanto prega ética, faz assessoria para deputados, vereadores, candidatos a prefeito, trabalha em campanhas políticas. Portanto não tem moral para falar de quem tem a coragem de assumir seu lado político.

Vivemos numa plena democracia, radialistas e jornalistas de direita ou esquerda têm liberdade para fazer o que bem entendem. Quem pensa diferente disso, precisa urgente fazer um tratamento psicológico para curar seus traumas, invejas e frustações.

*Renato Ribeiro, jornalista e radialista, apresentador do Programa Rádio Repórter da Rádio Subaé AM

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]