Anunciação do menino Jesus

Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Naqueles dias saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo fosse recenseado. Este primeiro recenseamento foi feito quando Quirínio era governador da Síria. E todos iam alistar-se, cada um em sua própria cidade.

Subiu também José carpinteiro, da cidade de Nazaré da Galiléia, à cidade de Davi, chamada Belém, porque era da casa e família de Davi, a fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.

Enquanto estavam ali, chegou o tempo em que ela havia de dar à luz, e teve a seu filho primogênito; envolveu-o em faixas e o deitou em uma manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.

Ora, havia naquela mesma região pastores que estavam no campo, e guardavam durante as vigílias da noite o seu rebanho. E um anjo do Senhor apareceu-lhes, e a glória do Senhor os cercou de resplendor; pelo que se encheram de grande temor.

O anjo, porém, lhes disse: não temais, porquanto vos trago boas novas: é que vos nasceu hoje, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor. Sigam a Estrela do Oriente e achareis um menino envolto em faixas, deitado em uma manjedoura.

Então, de repente, apareceu junto ao anjo uma esplendorosa milícia celestial, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade.

E logo que os anjos se retiraram deles para o céu, diziam os pastores uns aos outros: vamos já até Belém, e vejamos isso que aconteceu e que o Senhor nos deu a conhecer.

Foram, pois, a toda a pressa, e acharam Maria, José e o menino deitado na manjedoura; e, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita; e todos os que a ouviram se admiravam do que os pastores lhes diziam.

E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes fora dito.

Quando se completaram os oito dias para ser circuncidado o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, e santo é o seu nome.

E a sua misericórdia vai de geração em geração sobre os que o amam. Com o seu braço manifestou poder; dissipou os que eram soberbos nos pensamentos de seus corações; depôs dos tronos os poderosos e elevou os humildes. Aos famintos encheu de bens, e vazios despediu os ricos.

Auxiliou a Isabel e ao seu servo Zacarias, ungindo de misericórdia Abraão e a sua descendência para sempre.

Eis que o meu Redentor vive!

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Juarez Duarte Bomfim
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]