Projeto inovador fortalece agricultura

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.

Um projeto desenvolvido no município de Pintadas, localizado no semi-árido da Bahia, o qual usa energia solar em processos de irrigação, foi um dos cinco vencedores de um prêmio internacional promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUD) e pela International Union for Conservation of Nature (IUCN). O Prêmio SEED 2008 é destinado a ações inovadores, que tragam benefícios sociais, ambientais e econômicos e que tenham potencial para serem adaptadas e implantadas em outros locais. A iniciativa brasileira e baiana, que concorreu com quase 400 projetos de mais de 100 países, foi destacada por utilizar energia renovável para combater a fome e a pobreza. Esta foi a terceira edição do prêmio e a segunda em que há brasileiros entre os ganhadores. O projeto baiano, chamado Pintadas Solar, beneficia cinco famílias de agricultores, que receberam bombas de água movidas a luz solar para puxar água de um riacho e irrigar hortas.

A iniciativa aqueceu o comércio do município, que tem pouco mais de 10 mil habitantes, além de diminuir a migração para locais menos secos. “A idéia não é nova, mas ela nunca foi pensando como política pública. O principal do prêmio é que ele dá visibilidade para o projeto e incentiva ações parecidas”, afirma a gestora do projeto, Nereide Coelho. Com a premiação, a organização responsável pelo projeto, a Rede Pintadas, vai receber US$ 25 mil.

FAZENDO A DIFERENÇA – Na região do semi-árido, é comum que os sertanejos façam pequenas represas em riachos, muitas vezes temporárias, para aproveitarem a água. Em Pintadas, município a 250 km da capital, o problema dos agricultores era trazer a água da represa para irrigar as hortas. A bomba d’água, compartilhada pelas famílias, resolveu o problema e permitiu que os agricultores usassem um sistema de irrigação por gotejamento, em que gotas de água caem constantemente nos canteiros.

A diferença do projeto de Pintadas é que a bomba usa energia limpa, renovável e abundante na região: o sol. Com a irrigação, os agricultores cultivam abóbora, cebola, pimentão, tomate, abacaxi, acerola, feijão e mandioca. A produção ajudou a melhorar a alimentação e a renda dos moradores. “Antes do projeto, a produção era muito pequena, e eles tinham que comprar produtos de outras cidades”, afirma a pesquisadora Maria Regina Maroun, que estudou o caso em sua dissertação de mestrado. “Ao permitir a produção de alimento, o projeto evita o êxodo e permite que as pessoas continuem no semi-árido”,destaca.

Em outra parte do município, mais distante do riacho, o projeto levou estrutura para que duas famílias cultivassem legumes e verduras por organoponia, uma técnica em que os vegetais são cultivados dentro da água, em estufas e com adubos orgânicos. O método é especialmente útil em locais em que chove pouco, pois permite que a água seja reutilizada. Um dos principais objetivos do projeto é desenvolver estratégias de adaptação às mudanças do clima que se fazem particularmente sentir nas regiões semi-áridas onde a escassez de chuva e as temperaturas altas acabam por agravar a situação já muito difícil.

SEMENTE LANÇADA – Em Pintadas, quase todos os 1.600 domicílios rurais contam com cisternas para armazenar água de chuva. Esse fato, somado à forte organização comunitária, atraiu o interesse de parceiros externos para realização do projeto que leva o nome do município, cuja fase piloto durou começou em 2006 e levou dois anos. O projeto Pintadas Solar está ancorado na Rede Pintadas (www.redepintadas.org.br), uma articulação que, desde 1999, mobiliza mulheres, jovens, apicultores, agricultores e religiosos, e trabalha junto ao poder público na realização de ações que promovam o desenvolvimento sustentável da cidade. O prêmio chegou no momento em que o Pintadas Solar concluiu sua fase piloto e está maduro para alçar vôo, ganhar escala e produzir um impacto mais significativo no município e na região, oferecendo também um modelo para regiões do mundo que enfrentam desafios semelhantes. A visão é contribuir para que a boa semente se expanda e possa germinar também em outros terrenos.

Hoje, 26 de novembro, a partir das 14h, no Instituto Goethe, na Av. 7 de Setembro, Salvador, Bahia, haverá um evento que marcará a conquista do Prêmio SEED 2008. As inscrições podem ser feitas através dos e-mails [email protected] ou [email protected] O evento vai contar com as presenças do governador Jacques Wagner, do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, do prefeito de Pintadas, Valcyr Rios, entre diversas outras personalidades. Para mais informações sobre o projeto Pintadas Solar, acesse o site www.pintadas-solar.org

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]