Com insônia pensei em necessidade e comunicação | Por Carlos Lima

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.

Com insônia pensei em necessidade e comunicação

Sem levar em conta a condição financeira ou a posição social do ser humano, uma situação comportamental é absolutamente correta: o ser humano jamais estará satisfeito com o atendimento às suas necessidades. Suas necessidades e projetos de realização pessoal se ampliam de uma maneira ou de outra, conforme o crescimento da qualidade de vida. Um exemplo real está no cotidiano de nossas vidas: o trabalhador assalariado deseja comprar uma televisão plasma de 45 polegadas, um computador, um som de qualidade e ao mesmo tempo precisa reformar e construir outro quarto em sua casa, quando tem, quando não, pensa na casa própria. Mas a realidade financeira provocada pelo valor do salário mínimo não permite. Como atender e financiar os desejos as necessidades e a concretização dos projetos?

Essa mesma situação é vivenciada na vida empresarial: como crescer, como ampliar, como se lançar no mercado, como divulgar os produtos, como aumentar as vendas se não existe capital. Quando existe pouco recurso a pergunta é a seguinte: começar por onde? A única resposta é “planejamento”. Mesmo assim sempre deixaremos de atender uma necessidade ou realizar projeto, os recursos sempre serão limitados e insuficientes para atender a vontade do ser humano.

A realização pessoal e o segredo do sucesso de uma empresa é descobrir as prioridades e aplicar corretamente os recursos. É essencial ao ser humano e ao administrador empresarial, desenvolver a sensibilidade de avaliação para identificar quais os projetos mais realizáveis e rentáveis, ou que atenda melhor suas necessidades de sobrevivência, além de se enquadrar na sua realidade financeira, evitando correr riscos desnecessários. Nos dias atuais, a insensibilidade também está globalizada, e avança de forma acelerada para o confronto com os nossos interesses. As decisões têm que ser rápidas e no menor tempo possível, caso contrário você pode ser atropelado pelo próprio tempo. Essa habilidade às vezes nasce com o ser humano, quando não ocorre é preciso desenvolver e aperfeiçoar.

A área de Comunicação pode ser um campo fértil para se buscar alguns exemplos. Todos aqueles que quiseram centralizar as decisões, impor suas vontades, desejos e não reconhecerem os anseios e as necessidades do povo, não conseguirá se firmar no mercado nem fazer opinião. O problema maior, de muitas empresas de comunicação e de uma gama considerável de profissionais, é não querer considerar ou valorizar e reconhecer que o povo, por menor que seja o seu grau de cultura, também pensa, opina e tem vontade própria. Sabe das suas necessidades, possui projetos e têm ideais. A maioria dessas empresas de comunicação, e de alguns profissionais, possui o convencimento de que tudo podem, é fácil promover e destruir pessoas e projetos. Podem tudo, basta um jornal, uma revista ou um microfone. A opinião pública não conta, eles podem construí-la, a opinião pública pode ser facilmente manipulada. Esse é o maior erro dos empresários e de parte dos profissionais de comunicação.

Ninguém é proprietário da verdade, até mesmos nessa minha posição opinativa encontrarei inúmeras opiniões divergentes e convergentes. Serão pontos fortes e fracos, serão projetos pessoais feridos e respostas que deveriam ser dadas e foram esmagadas. Serão descobertas ou fatos já debatidos por outros. Elas podem se transformar em estudos, pesquisas ou jogados na lata do lixo. Corro esses riscos, e daí? Os risos e oportunidades existem para todos. Dizem que ainda existe até os riscos do tempo gasto e do custo desse tempo; do português aplicado, do questionamento ao meu projeto e as minhas necessidades. Muito bem, se for pensar por esse lado deixarei de escrever. Como não posso assumir essa posição, sigo em frente, enfrentando todos esses riscos, ampliando meus projetos e procurando atender, dentro do possível, minhas necessidades.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]