A Peleja de Deus, o Diabo e o Mercado Distribuidor

Antônio Alberto de Oliveira Peixoto.Antônio Alberto de Oliveira Peixoto.

Se perguntássemos as pessoas dos diversos segmentos religiosos, quem são os verdadeiros donos do mundo, elas diriam: “Deus, porém o diabo está sempre atrapalhando a obra do Senhor”. Se indagássemos a todas as pessoas que habitam este Planeta, o que seria necessário para que este mundo melhore, com certeza absoluta, todos responderiam: “Paz na Terra”. Teríamos, então, a falsa impressão de que seria muito fácil se resolver os problemas relacionados com a violência existente no Planeta. Paradoxalmente a esses pensamentos, observamos a todo instante monstruosas crueldades como o sequestro, seguido de morte no ABC paulista, da garota Eloá.

Tivemos a infelicidade de acompanhar através dos telejornais, nos últimos dias, o repulsivo comportamento de um rapaz furioso, movido por uma força perversa que ele denominou de: “amor por Eloá”. Esse sentimento malvado o conduziu a cometer diversos atos de violência contra jovens adolescentes indefesas. Esse comportamento crasso levou a óbito sua namorada e também pois em risco, a vida de outra adolescente, perturbando a pseuda tranqüilidade do bairro que foi transformado em uma arena de acontecimentos funestos. E a polícia mais uma vez… por outro lado, o pai da vítima é um anti-herói procurado pela polícia por vários crimes. Que balaio de gatos!!!

Em meio a todo esse turbilhão de emoções – negativas – como se já não bastasse, um sujeito, tido como o principal administrador da boca de fumo do bairro e que se auto-intitula por “Príncipe do Gueto”, vendo seu mercado distribuidor ameaçado – distribuição da maconha – pela quantidade de policiais espalhados por toda região e da imprensa que fazia a cobertura jornalística do episódio, reclama dos prejuízos que o seu negócio estava sofrendo provocado pelo desastroso “Lindemberg”. Desesperado o feroz administrador da boca de fumo deu o ultimato, anunciando que: se o delinqüente – a esta altura detido pela polícia – fosse colocado em liberdade, seria morto imediatamente, por ter atrapalhado a comercialização do seu produto, o que lhe rendeu uma semana de prejuízos reais, não atendendo aos seus clientes.

Na ótica dos religiosos cada personagem dessa trágica história, tem um referencial – alegórico, é claro. Para os Evangélicos, Lindemberg encarna a imagem do diabo e o Príncipe da boca de fumo a cobra que tentou Adão e Eva no paraíso; segundo os Católicos, mais ou menos a mesma coisa, porém Eloá, um anjo sacrificado. Já para os Kardecistas, todos estão resgatando dívidas de uma possível vida passada, sendo Eloá, possivelmente a maior devedora.

Em meio a essa “peleja” entre Deus e o Diabo para “gerir o nosso Planeta”, o que nos dá um fio de esperança é saber que a mãe de Eloá, dona Ana Cristina Pimentel, em um ato soberano distribuiu os órgãos de sua filha para pessoas que estavam na fila a espera de doadores e perdoou o assassino de sua filha – sei que é muito difícil de entender esse perdão – o que nos permiti à expectativa de que ainda existe a possibilidade de termos, um dia, “Paz na Terra”.

Alberto Peixoto
www.albertopeixoto.com.br
[email protected]

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.