Feira de Santana será beneficiada pelo programa ‘Cidade Digital’

Ilustração do programa 'Cidade Digital'.Ilustração do programa 'Cidade Digital'.
Ilustração do programa 'Cidade Digital'.

Ilustração do programa ‘Cidade Digital’.

O município de Feira de Santana contará com uma infra-estrutura tecnológica que vai permitir o acesso a diversos serviços da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). O lançamento do programa Cidade Digital acontece nesta quarta-feira (24/09/2008), a partir das 19h, na sede da Câmara de Diretores Lojistas (CDL). A iniciativa é da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia (Secti), que planeja atender a 40% da área de Feira de Santana, priorizando instituições públicas, bairros populares e a população de baixa renda.

Com o Cidade Digital será disponibilizada internet gratuita a todas as instituições públicas de Feira de Santana (municipais, estaduais e federais), bem como aos Centros Digitais de Cidadania (CDCs), implantados no município pela Cidadania Digital (programa de inclusão sociodigital do Governo do Estado).

De acordo com o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Ildes Ferreira, a tecnologia a ser empregada garante a fácil ampliação dos pontos de atendimento, alcançando rapidamente os outros 60% da cidade, inclusive com a possibilidade de atendimento a municípios vizinhos.

No Brasil, a implantação de cidades digitais vem melhorando a qualidade de vida em municípios como Macaé e Piraí (RJ), Porto Alegre (RS), Paulo Afonso (BA) e Sobral (CE) e que, agora, chegará a Feira de Santana. Com isso, famílias de baixa renda poderão desfrutar da internet banda larga, pagando pelo serviço apenas 30% do valor de mercado. Em Feira de Santana, a previsão é que os equipamentos comecem a operar no primeiro semestre de 2009.

Programa atinge todas as áreas da administração pública

No Brasil, a implantação de cidades digitais vem beneficiando praticamente todas as áreas da administração pública, como educação, saúde, segurança. No campo do governo, permite a modernização da administração pública, com a integração, via computador, de todos os órgãos e autarquias, a integração das estruturas tributária, financeira e administrativa, o aumento da arrecadação tributária e a melhoria da fiscalização, dentre outros benefícios.

No terreno da cidadania, propicia a implantação de Centros Digitais de Cidadania (CDCs) com custos de internet reduzidos. Na esfera da educação o Programa Cidades Digitais promoveu a integração de escolas a outras instituições de ensino e pesquisa, além do acesso a laboratórios de informática e a acervos de livros e documentos históricos, além da capacitação de professores.

Na área da saúde, a cidade digital propicia a gestão integrada dos centros de assistência à saúde, interligando os serviços de emergência, como o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil, com o uso de novas tecnologias, a exemplo de videoconferências e telemedicina. No espectro da segurança pode interligar, via computadores, o Corpo de Bombeiros e as Polícias Civil e Militar e instalar câmeras de vigilância pela internet nos pontos mais vulneráveis das cidades. Por fim, no setor da economia, garante a comunicação mais barata, por meio da banda larga.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).