Festival de Sanfoneiros superou as expectativas e agitou o Cuca

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.

Com a música instrumental Saudade de meu Pai executada no fole de oito baixos, André Galdino, 64 anos de idade, mais conhecido como Baio do Acordeon alcançou a primeira colocação no Festival de Sanfoneiros realizado pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), através do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca). O segundo lugar ficou com José Araújo Lima, o Zé Araújo, da vizinha cidade de Santana Bárbara, com a obra Vem Ficar Comigo. O jovem Adriano Marçal, de 25 anos, ficou em terceiro, com a música Forró da Paraíba.

O evento, dos mais concorridos, lotou o teatro do Cuca nos dois pisos e levantou a platéia que vibrou com as composições executadas ao som das sanfonas. As exibições levaram para o ambiente todo o clima das festas juninas, dos forrós e arrasta-pés, tão característicos desta época do ano.

Baio do Acordeon que faturou o prêmio de R$ 3 mil, recebeu o troféu das mãos do reitor da Uefs, José Carlos Barreto. Natural de Água Branca, AL, mas radicado em Feira de Santana há mais de 40 anos, Baio também tocou, na sanfona branca que lhe presenteou Luiz Gonzaga, música interpretada por J. Sobrinho. E disse que começou a tocar por influência do pai, Zé Tucano, aos 9 anos de idade.
O sanfoneiro Zé Araújo ficou com R$ 2 mil, além de troféu, entregue pelo vice-reitor Washington Almeida Moura, enquanto Adriano Marçal, terceiro colocado, recebeu o prêmio de R$ 1 mil e troféu, do cantor e compositor baiano Xangai, que também integrou o corpo de jurados.

Show extra

A comissão julgadora foi composta ainda pela professora da Uefs, Maria Lenilda Carneiro David, pelo cordelista Franklin Machado; músico João Crispim Ramos, o Caboquinho; Vilma Soares, presidente da Associação de Quadrilhas Juninas de Feira de Santana; Goreti Figueiredo, professora do Seminário de Música da Uefs e pelo músico e maestro da Banda da Polícia Militar de Feira de Santana, o sargento José Luiz Pinheiro dos Santos, que presidiu os trabalhos.

Quem foi ao Cuca na noite de sexta-feira foi brindado ainda com o show do sanfoneiro Cicinho de Assis, que se apresentou, no intervalo do festival, juntamente com o cantor e compositor Carlos Pita, relembrando sucessos da carreira dos dois, que já trabalharam juntos em várias oportunidades. Encerrada a premiação, os vencedores do Festival tocaram para dançar, desta vez no hall do teatro e área externa, agitando e esquentando o clima no local.

Na avaliação de Selma Oliveira, diretora do Cuca, o 1º Festival de Sanfoneiros de Feira de Santana superou as expectativas. “Faltou espaço para acomodar o público, tanto que o próximo festival deverá ser realizado no Centro de Cultura Amélio Amorim, onde o teatro é bem maior”, observa. Para Selma, o objetivo foi plenamente alcançado: “valorizar a nossa cultura, como prevê o projeto político-cultural da Uefs”.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 114924 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.