Profissionais da imprensa vestem verde e usam apitos em protesto no Jornal A Tarde

Sede do Jornal A Tarde, em Salvador.Sede do Jornal A Tarde, em Salvador.
Sede do Jornal A Tarde, em Salvador.

Sede do Jornal A Tarde, em Salvador.

Os jornalistas de A TARDE realizaram um protesto na quarta-feira, dia 15 de agosto de 2007, no final da manhã, para pressionar a empresa a fechar acordo em torno dos últimos itens da pauta de reivindicações do segmento: reajuste salarial e Banco de Horas. Vestidos de verde e portando apitos, os trabalhadores saíram da redação – que também estava enfeitada com bolas de assoprar, verdes – e foram em caminhada até a sala da Presidência do Jornal, onde foram recebidos por Silvio Simões.

Um grupo de 30 pessoas conversou com Simões e deixou com ele uma proposta para resolver o impasse. Foi proposto um reajuste de 4%, retroativo a maio e concessão de folgas para zerar o Banco de Horas. Os demais pontos da pauta de reivindicações já estão fechados e a indefinição em torno dos dois últimos itens tem causado apreensão aos jornalistas.

No início do processo negocial, A TARDE apresentou proposta de reposição salarial de 2,7%, abaixo da inflação oficial. Após algumas negociações a empresa avançou para 3,43%, que é exatamente o INPC-EBGE do período compreendido entre 1º de maio de 2006 e 30 de abril de 2007. Mas o Sindicato reafirmou a posição dos trabalhadores em assembléia para que seja concedido pelo menos 4%, o que garantiria algum aumento real.
Quanto ao Banco do Horas, o Sindicato e os jornalistas estão sendo flexíveis em busca de um entendimento. O acordo prevê pagamento de 50% das horas constantes no Banco em dinheiro e os demais 50% em folgas. Desde julho de 2004 a empresa não vem cumprindo o acordado, o que acumulou um enorme passivo. Agora, na negociação salarial, propôs pagar em dinheiro 25% do débito, parcelado em 6 vezes.

O Sinjorba e os trabalhadores não aceitam essa proposta e, em contrapartida, apresentou como saída para o impasse o pagamento de 100% das horas do banco em folga. O banco deve ser zerado até 30 de abril de 2008, quando deixaria de existir e uma comissão de jornalistas acompanharia sua execução até então. O resíduo, se existir, seria negociado na data-base, 1º de maio. Ressalte-se que A TARDE já vem concedendo folga aos empregados como forma de diminuir o passivo do Banco.

Às 19h30 o jornal respondeu às reivindicações, aceitando a proposta do Sindicato. Se comprometeu também a instalar o Plano de Cargos e Salários da empresa entre 1º de janeiro e 30 de abril de 2008.

Para a vice-presidente do Sinjorba, Marjorie Moura, o acordo representa a superação de um grande entrave das negociações anteriores, pois a gestão do Banco de Horas na redação nunca foi satisfatória. “O novo acordo vai permitir ainda que o fórum de negociação paritária (formado por representantes da direção da empresa, dos funcionários e do Sindicato) discuta alguns pontos que não foram acordados e que deverão ser incluídos como aditivos”, declarou ela.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]