ESTE É O PAÍS DO LIMO, OU DA CASCA DE BANANA?

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.

JORNAL DA CAATINGA. Express. 11/06/2007, fl.4
Cotovia-Ce. – Massaranduba de Dentro
Comentarista: L. Evando Semp

ESTE É O PAÍS DO LIMO, OU DA CASCA DE BANANA?

. Vergonhosamente assistimos a todo o momento, pelo rádio, televisão e jornais, a ação da polícia federal contra políticos, funcionários públicos e empresários corruptos, que enchem as burras de dinheiro público, já que ficou perigoso e fácil de ser encontrado quando depositado em casas bancárias, ante a facilidade da quebra de sigilo.
Em Cotovia não se fala de outra coisa a não ser da corrupção política que assola o nosso País. Figuras ilustres de nossa cidade, como ‘Zé roubado’ – tido como louco e profeta, baixinho, muito inteligente-; ‘Ferradão’ – figura simpática, estatura avantajada, caboclo, que dizem, apareceu em certo dia de feira livre e ficou na cidade, tornando-se conhecido como ‘ferradão’, haja vista que repete sem parar: – tô ferrado, tô ferrado, ferradão, ferradão-; ‘Turcão’ – figura nojenta, de pouca higiene, barriga à mostra, anda sempre pedindo 1 real-; e o valente ‘Chefão da Praça’- já que faz da praça principal a sua moradia, cuida do jardim, e não deixa a meninada pisar na grama.

Tá sempre procurando confusão com alguém quando o motivo é zelar pela praça. Procura encrenca até com os casais que namoram na praça à noite. Pois é…, no final da tarde do sábado passado, quando voltava da casa de um amigo, percebi, em plena praça, uma reunião incomum: Zé roubado, Ferradão, Turcão e o Chefão da Praça, conversavam animadamente. Na verdade, faltavam outros como: Seu Zé, Tem Tem, Alô, Baiano, Prego, Tira a mão da balança, Marta Rocha, todos tidos como loucos, entretanto, honestos. Aí sim, se estivessem todos reunidos, seria um verdadeiro Congresso. Confesso que fiquei curioso, já que nunca tinha visto aquelas figuras num mesmo local, principalmente, em conversa tão animada, o que me fez procurar um banco próximo, sentar-me e passar a escutar um pouco daquela prosa, do que não me arrependi, devido à lição, um pouco desproporcional, porém, cheia de moral e ética:

Zé Roubado dava o tom à conversa, explicava, e corrigia os amigos, quando necessário: – pois é, meus amigos, estamos vivendo o fim do mundo. Acredite quem quiser, mas a qualquer momento aparecerá no céu uma ‘bola de fogo’ e levará daqui os bons. Os maus ficarão e sofrerão até os seus últimos dias. Vocês estão vendo as notícias de guerras, corrupções, roubos, assassinatos, terremotos, poluição, sanguessuga, big brother, papa-móvel, bush, operação dominó, operação navalha, bin laden, PCC, xeque-mate. Isso tudo é prenúncio do fim dos tempos. Tenho sonhado sempre com isso tudo. Meus sonhos nunca falharam.

Meio preocupado, o Chefão da Praça pergunta: – Mas Zé, e o meu jardim? Será que eu posso levar na ‘bola de fogo’?
Ferradão entrou na conversa mesmo antes de Zé Roubado responder, e perguntou:
– E eu, tô ferradão? Acho que fiz coisa errada. Tô ferrado, tô ferrado, ferradão, ferradão.

– Calma, disse Zé Roubado. – Também, não é assim. Tudo depende do Congresso, do Presidente, dos Governadores, dos Prefeitos, principalmente do Prefeito de Cotovia. Se fizerem tudo direitinho, e não escorregarem, a ‘bola de fogo’ pode passar longe.
Turcão interrompeu a conversa, ainda com a boca cheia, pois, tinha terminado de comer uma banana, jogando, disfarçadamente, a casca na calçada, para que o Chefão da Praça não percebesse: – E eu? Será que também vou na bola de fogo? Só tenho 1 real.

Zé Roubado retomou a palavra e disse: – meus irmãos, só vão na bola de fogo os bons; os limpos; os inocentes; e aqueles que nunca escorregaram.
Turcão e Ferradão resmungaram frases ininteligíveis, por causa de tantos requisitos inatingíveis. Por fim, Turcão reclamou: – disseram que o tal do papa, o bush e o big brother vieram no mesmo avião. Será que a gente não pode ir na mesma ‘bola de fogo’?

Muito embora estivesse com a atenção toda voltada para o bate-papo daquela turma, percebi que o nosso Prefeito vinha atravessando a rua e, em seguida, subindo a calçada da praça, certamente em direção à sua residência, o que me fez ficar distraído acompanhado os seus passos, já que passaria diante de todos nós em questão de segundos. Não tinha sequer retornado a atenção para o grupo, e o Prefeito já passava entoando um grave boa-noite, seguido de uma grande escorregada e um tombo que chamou a atenção de todos: tinha pisado na casca de banana jogada ali por Turcão. Queda feia.

Apressadamente, Turcão se explicou: – Seu Prefeito, a culpa foi minha do senhor ter escorregado, mas não se preocupe não que quando a ‘bola de fogo’ passar eu ficarei com o Senhor.
O Chefão da Praça de logo sentenciou contra o Turcão: – Viu aí, imundo, além de sujar o meu jardim, ainda fez o Prefeito escorregar. –Agora a ‘bola de fogo’ vai passar mesmo.
O Prefeito sem entender nada, levantou-se meio atordoado, bateu as mãos nas calças tentando prosseguir a sua viagem, não deu mais que vinte passos, e tornou a escorregar.

Turcão mais que depressa, defendendo-se: – dessa vez não fui eu. A culpa é sua Chefão da Praça, ali tá cheio de limo.
Zé Roubado, meio desanimado, replicou: – pelo que eu vejo, vamos continuar todos aqui após a passagem da ‘bola de fogo’.

Ferradão olhou para o Prefeito e disse: – se escorregou porque é ladrão. Tô ferrado, tô ferrado, ferradão, ferradão. Também… não vou na ‘bola de fogo’.
Zé Roubado olhou para todos e com ar de desprezo foi se afastando, enquanto os outros, também, tomavam rumos diferentes.

Reflexivo, fiquei ali sozinho por um instante. Levantei-me do banco da praça e caminhei lentamente em direção à minha casa tentando não pisar numa casca de banana ou pisar no limo. Não queria escorregar. Talvez quisesse ir na ‘bola de fogo’.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]