Feira de Santana em história: A cidade em outubro de 1948 | Por Adilson Simas

Registro de 1948 da fachada da Escola Municipal João Florêncio, em Feira de Santana.

Registro de 1948 da fachada da Escola Municipal João Florêncio, em Feira de Santana.

Numa nostálgica viagem a Feira de Santana de outrora, vamos lembrar fatos ocorridos no mês de outubro de 1948, portanto há 71 anos, tomando como base em publicações encontradas no centenário jornal Folha do Norte.

A cidade já se aproximava dos 100 mil habitantes. Aqui no distrito-sede residiam cerca de 30 mil pessoas. Nos distritos da zona rural, pouco mais de 60 mil moradores.

Os três poderes funcionavam na Prefeitura, o chamado Paço Municipal. O juiz Alibert Amaral comandava o judiciário, o vereador Edelvito Campello presidia o poder legislativo e o prefeito era Aguinaldo Boaventura, chefe, portanto, do poder o executivo.

Aguinaldo tomou posse em maio, mas em outubro já estava rompido com o PDS, partido responsável pela sua surpreendente vitória. Líder político do PSD, naquele mês de outubro Eduardo Motta fez duras críticas ao prefeito pela imprensa da capital. A Folha do Norte reproduziu as críticas para em seguida sair em defesa do prefeito.

A cidade ainda comemorava o surgimento da Rádio Sociedade, festivamente inaugurada no mês anterior. Da mesma forma o feirense assistia feliz as obras de pavimentação da Feira – Salvador e o andamento da implantação da rodovia Rio – Bahia.

Na rotina daquele outubro, o tenente-coronel Álvaro Simões, hoje batizando a Rua do Fórum, liderava a luta pela volta do Tiro de Guerra desativado que estava e do qual tinha sido presidente. Uma notícia alegrou a todos, trazida pelo próprio Álvaro Simões: o Ministério da Guerra autorizou a VI Região Militar iniciar estudos para reativar o Tiro de Guerra.

O Feira Tênis Clube com 4 anos de existência, convocou os associados para a eleição da nova diretoria. O edital foi assinado pelo segundo secretário Almiro Vasconcelos, pai do nosso amigo Narom Vasconcelos.

O vereador João Baptista Carneiro, pai de João Durval Carneiro, enviou telegrama ao Ministério da Agricultura condenando derrubada sem critérios de árvores, promovida pelos guardas da Saúde Pública, por conta da peste bubônica que afetava a cidade.

Eugênio Gomes, secretário do ministério, imediatamente respondeu o telegrama do vereador do PST, dizendo que o Serviço de Peste recebeu instrução para evitar a derrubada indiscriminada.

A Associação de Proteção da Infância de Feira elegeu e empossou a sua nova diretoria, ficando como presidente o médico Renato D’Rei Sá Bittencourt Câmara. Também fazia parte da diretoria Heráclito Dias de Carvalho, que havia sido prefeito em dois períodos e depois vereador eleito em 1950, para a segunda legislatura.

No esporte o Fluminense ainda amador, jogou no domingo, 23, em Santo Amaro da Purificação, enfrentando o Continental Futebol Clube. O tricolor “em extensa composição ferroviária (viagem de trem) embarcou pela manhã levando na delegação centenas de torcedores e a Filarmônica 25 de Março. A vitória de 2 a 1 alegrou mais ainda a viagem de volta.

O Dia da Criança foi amplamente comemorado, tendo à frente a Delegacia Escolar, dirigida pela professora. Edelvira Oliveira, conhecida como Professora Catuca, irmã do então vereador Áureo Filho. A Escola João Florêncio foi o palco da festa, reunindo também alunos de outras escolas, entre elas Maria Quitéria, Currais Modelo e a Escola do Asilo Nossa Senhora de Lourdes

Uma comissão do Rotary Clube formada por Coriolano Carvalho, Joselito Amorim, Clovis Lima, Luiz Azevedo e outros, distribuiram doces, chocolate, bombons e biscoitos. Foram executados números musicais e a festa encerrada com bonito discurso do professor Péricles da Rocha Ramos, diretor da Escola Normal Rural de Feira de Santana.

No dia 16, grande tarde esportiva nesta cidade, no campo da Vitória. A Associação Desportiva Bahia goleou de 5 a 1 o Real A. Clube de Santo Amaro, escalado com Baguesa, Alfredo e Bigode; Erconval, Gervásio e Juvenal; Alegre, Davi, Mário Porto, Marete e Lazaro. A imprensa assim comentou o desempenho de alguns jogadores do Bicho Papão:

Juvenal jogando de ralfo adiantado esteve impressionante…

Mário Porto, o melhor, fez dois tentos notáveis…

Baguesa, Alfredo e Bigode estiveram segurissimo…

Lazaroo e Marete se entenderam às maravilhas. Leves, ligeiros e perigosos, podem por em polvoroso qualquer defesa…

Erconval estreou bem, mesmo estando gordo…

E por fim Gervásio que demonstrou ser um pivô à altura quadro. Consciencioso e ativo.

*Adilson Simas, jornalista, atua em Feira de Santana.

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]