Temos que denunciar todo dia essa omissão criminosa do Governo Bolsonaro, diz deputado Robinson Almeida, sobre óleo na costa marítima do Nordeste

Deputado Robinson Almeida denuncia Governo Bolsonaro por omissão envolvendo degradação ambiental da zona costeira do Nordeste.

Deputado Robinson Almeida denuncia Governo Bolsonaro por omissão envolvendo degradação ambiental da zona costeira do Nordeste.

O deputado estadual Robinson Almeida (PT) voltou a criticar a “negligência” e “omissão criminosa” do governo federal em relação ao vazamento de petróleo que atinge o litoral do nordeste desde o final de agosto. Até esta terça-feira (22/10/2019) já foram recolhidas mais de 900 toneladas do óleo cru do litoral da região, que já chegou às praias de Morro de São Paulo, Itacaré e Ilhéus.

Em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa, o parlamentar avaliou que ao invés de construir uma força tarefa e um plano de ação nacional, que auxiliasse estados e municípios, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) extinguiu órgãos e colegiados que poderiam acionar o Plano Nacional de Contingência (PNC) e priorizou ideologizar aquele que é considerado o maior crime ambiental da História da costa brasileira.

“A devastação só faz crescer e não há nenhuma iniciativa concreta do governo federal pra identificar a causa desse crime ambiental de grandes proporções. Enquanto isso Bolsonaro e seus filhos preferem ignorar o problema e continuar fazendo do Brasil um parque de diversão, promovendo confusões e brigas diariamente”, afirmou Robinson.

O deputado noticiou que o comandante da Marinha, almirante Ilques Barbosa Júnior, disse hoje que não há indícios entre o vazamento do petróleo e o governo ou indústria venezuelana, e que servidores de órgãos ambientais acusaram o presidente Jair Bolsonaro de cometer “claro ato de improbidade administrativa” ao editar o decreto 9.759, que extinguiu colegiados ligados ao Meio Ambiente, e deixou o Brasil “desguarnecido” para enfrentar o vazamento de óleo.

“Essa omissão criminosa do governo Bolsonaro precisa ser denunciada cotidianamente porque o prejuízo para o meio ambiente, para nosso ecossistema marinho e também para a economia dos municípios nordestinos é de grande monta”, enfatizou.

Pescadores de praias com óleo ocupam sede do Ibama na Bahia

Segundo reportagem de João Pedro Pitombo, publicada nesta terça-feira (22/10/2019) no Jornal Folha de S.Paulo, um grupo de pescadores e marisqueiros de localidades atingidas por manchas de óleo ocuparam na manhã desta terça-feira (22/10/2019) a sede do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) na Bahia.

Os manifestantes –cerca de 300 pessoas– criticam a atuação do governo federal na contenção do óleo que tem chegado a praias do litoral dos nove estados nordestinos desde 30 de agosto.

“É uma situação gravíssima e o que vemos é um completo descaso. O governo federal tem atuado somente de maneira paliativa no combate ao óleo, fazendo a limpeza das praias”, afirma Maria José Pacheco, do Conselho Pastoral dos Pescadores.

Ela ainda destaca que a chegada o óleo tem limitado a atuação dos pescadores, já que a orientação é não pescar ou catar mariscos nas áreas atingidas pelo óleo.

Inapetência e negligência do Governo Bolsonaro ampliou extensão da degradação ambiental proveniente do óleo despejado em alto-mar, que atingiu zona costeira do Nordeste.

Inapetência e negligência do Governo Bolsonaro ampliou extensão da degradação ambiental proveniente do óleo despejado em alto-mar, que atingiu zona costeira do Nordeste.

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]

Notice: Undefined variable: mh_newsdesk_options in /home/jornalgr/public_html/wp-content/themes/mh_newsdesk/comments.php on line 2