Prefeito ACM Neto e deputado Rodrigo Maia planejam fusão do Democratas com PSL com a finalidade de ampliar bancada de extremistas de direita

ACM Neto, prefeito de Salvador e presidente Nacional do Democratas, em oração para que o esquema entre PSL e DEM resulte em uma base ampla de parlamentares e dinheiro.

ACM Neto, prefeito de Salvador e presidente Nacional do Democratas, em oração para que o esquema entre PSL e DEM resulte em uma base ampla de parlamentares e dinheiro.

Durante a reunião promovida nesta quinta-feira (17/10/2019) entre membros da bancada do PSL, oportunidade em que o deputado federal Waldir Soares (Delegado Waldir, PSL-GO) qualificou o presidente Jair Bolsonaro de vagabundo, foi revelado que o prefeito de Salvador e presidente Nacional do Democratas, ACM Neto, em conjunto com Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, planejam a fusão partidária entre o PSL e Democratas, com a finalidade de ampliar a base partidária no Congresso Nacional e aglutinar o volume de recursos financeiros, oriundos dos fundos partidário e eleitoral.

Em reação a tentativa do Democratas, deputados do PSL, usando linguagem vulgar, declararam que os políticos ACM Neto e Rodrigo Maia querem meter a mão no dinheiro deles.

Em síntese, observa-se uma guerra entre os membros da extrema-direita e da direita com a possível finalidade de aumentar os ganhos pessoais, ao manejar substantiva quantia dos fundos partidário e eleitoral.

Entenda o caso

Sob o pretexto de comemorar o aniversário do deputado Alexandre Frota (PSDB-SP), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), reuniu Felipe Francischini, Mendonça Filho (DEM-PE) e o vice-presidente do PSL Antônio Rueda (PE). Segundo ele, o assunto da pauta foi a fusão que pode fazer do partido o maior do país. Além dos presentes, houve uma ligação para o presidente nacional do DEM, ACM Neto (BA).

“Ontem a gente foi na casa do Rodrigo, tava o Mendonça, tava o Rodrigo Maia ligando pro ACM, comigo e com o Rueda. Eles estão louco esperando para fazer a fusão do Democratas com o PSL. Eu tô tentando segurar essa porra, porque eu não quero que aconteça”, disse o deputado Felipe Francischini (PSL-PR), presidente da CCJ, no áudio vazado pela imprensa.

O deputado do PSL alerta que, caso a fusão aconteça, os deputados do PSL perderão espaço, protagonismo e verba pública. “Se a bancada passar o recado que não está com o partido, eles vão fazer a fusão e vão liderar todo mundo aqui. Sem levar fundo, sem levar porra nenhuma e o Democratas vai ficar com o dinheiro de todos vocês aqui”, diz.

Outro ponto  revelado no áudio é o momento em que Felipe Francischini reclama da falta de diálogo com o presidente Bolsonaro.

*Com informações do Congresso em Foco.

Confira vídeo

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).