Campanha nacional de vacinação contra o sarampo é iniciada em Feira de Santana

Para receber a dose da vacina é necessário apresentar documento de identidade oficial, caderneta de vacinação e cartão SUS.

Para receber a dose da vacina é necessário apresentar documento de identidade oficial, caderneta de vacinação e cartão SUS.

Como estratégia de interromper a circulação do vírus do sarampo e proteger os grupos mais vulneráveis, a Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria de Saúde, iniciou a campanha nacional de vacinação contra o sarampo nesta segunda-feira (07/10/2019).

Este ano a vacinação tem foco em dois públicos, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde. O primeiro grupo, crianças de seis meses a menores de cinco anos (4 anos, onze meses e 29 dias), que ainda não foram vacinadas, devem receber a imunização de 7 a 25 de outubro. Para este público, o dia D de mobilização será realizado no dia 19 de outubro em todas as unidades básicas de saúde.

Já o segundo grupo são adultos jovens não vacinados de 20 a 29 anos de idade, e segue do dia 18 a 30 de novembro. O Dia D de mobilização nacional acontece para este público no dia 30 de novembro.

“As pessoas não vacinadas que não se enquadram na campanha, até 49 anos de idade, podem se dirigir às unidades básicas de saúde para atualizar a caderneta de vacinação, exceto nos dias de mobilização nacional”, ressaltou a supervisora da Vigilância Epidemiológica, Neuza Santos.

Para receber a dose da vacina é necessário apresentar documento de identidade oficial, caderneta de vacinação e cartão SUS. Todas as unidades básicas de saúde estão abastecidas com doses da vacina. Até o momento, foram recebidas cinco mil doses.

Este ano a meta é vacinar 95% do público alvo. A vacina possui contraindicação para crianças menores de seis meses, pessoas que sofreram reação alérgica com presença de urticária e comprometimento respiratório após aplicação de doses anteriores da vacina contra o sarampo e pessoas com imunodeficiência congênita ou adquirida.

“Pessoas com febre, transplantados de medula óssea, em uso de hemoderivados, crianças em uso de drogas imunossupressoras, quimioterapia antineoplásica ou uso de corticosteroides em doses imunossupressoras devem aguardar certo período para receber a dose da vacina”, orientou a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Francisca Lúcia Oliveira.

Ainda de acordo com ela, o Ministério da Saúde recomenda que seja evitada a gravidez por 30 dias após a administração da dose da vacina. Caso seja aplicada, não é indicada interrupção da gravidez.

Casos em Feira de Santana

O município de Feira de Santana não registra casos positivos para a doença desde 1998. Este ano, até o momento, foram notificados 22 casos suspeitos e não há confirmação para a doença.

“Temos trabalhado frequentemente intensificando a vacinação dos nossos cidadãos para evitar que esse vírus possa ser reinserido no município”, enfatizou a Secretária de Saúde, Denise Lima Mascarenhas.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]