UFRB realiza evento de prevenção ao suicídio em Cachoeira: Pesquisador Nilson Weisheimer media debate

Professor Dr. Nilson Weisheimer, coordenador no Observatório Social da Juventude, medida debate na UFRB, em Cachoeira, com o tema 'Prevenção ao Suicídio: Ciências, Juventude e Narrativas’. A atividade ocorre no contesto da edição 2019 do Setembro Amarelo e é parte da campanha internacional de prevenção ao suicídio.

Professor Dr. Nilson Weisheimer, coordenador no Observatório Social da Juventude, medida debate na UFRB, em Cachoeira, com o tema ‘Prevenção ao Suicídio: Ciências, Juventude e Narrativas’. A atividade ocorre no contesto da edição 2019 do Setembro Amarelo e é parte da campanha internacional de prevenção ao suicídio.

O evento intitulado ‘Prevenção ao Suicídio: Ciências, Juventude e Narrativas’,  acontece no dia 25 de setembro de 2019 (quarta-feira), às 9 horas, no Auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), situado na rua Maestro Irineu Sacramento, s/n no Centro de Cachoeira.

O Setembro Amarelo é uma Campanha internacional de prevenção ao suicídio. Pelo segundo ano consecutivo, através do Colegiado de Licenciatura em Ciências Sociais em parceria com o Observatório Social da Juventude da UFRB, é realizado o evento interdisciplinar e gratuito, aberto a estudantes e à comunidade em geral. Todos terão certificado de participação.

A ação pontual de extensão  é um convite para a sociedade em geral e em especial para o povo do Recôncavo e da Bahia interessado em um diálogo interdisciplinar sobre a vida mental na sociedade contemporânea e seus dilemas. A mesa redonda terá a participação do sociólogo e professor doutor na UFRB, Antônio Mateus Soares, do médico psiquiatra Victor Pablo da Silveira, da psicóloga Tânia Duplatt – ambos pesquisadores da temática –, da jornalista é professora doutora na Universidade Federal da Bahia (UFBA), Malu Fontes, além da socióloga, presidenta nacional na Unegro  e ex-secretária nacional da juventude (2011-2016), Ângela Guimarães. A mesa será mediada pelo sociólogo, professor doutor na UFRB e coordenador no Observatório Social da Juventude, Nilson Weisheimer.

Para Antônio Mateus Soares, o tema do suicídio historicamente é cercado de tabus e complexidades analíticas, tendo a primeira pesquisa relevante sobre o tema escrita no final do século XIX, em 1897 pelo sociólogo francês Émile Durkheim. O fenômeno  cresceu progressivamente no mundo e segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil ocupa a oitava posição global em suicídio, liderando às estatísticas de depressão e suicídio na América Latina. Entre 2007 a 2016 foram registrados 106.374 mortes por suicídio no Brasil, sendo a 3ª causa de morte entre os jovens de 15 a 29 anos, se configurando como um problema de saúde pública.

Em pesquisa recente da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), publicada na Revista Brasileira de Psiquiatria, há afirmação de que o Brasil se encontra na contramão do mundo em relação aos índices de suicídio que vem caindo mundialmente, e aqui cresceu 24% entre adolescentes e jovens, em sua maioria do sexo masculino e cor negra. O pesquisador da UFRB, Antônio Mateus Soares, enfatiza que, segundo dados do Ministério da Saúde, o suicídio entre os adolescentes e jovens negros é 45% maior do que entre os brancos, entre os fatores para analisar este caso grupo específico o  racismo estrutural, o desemprego, a exclusão e o estigma são indicados pelo sociólogo como fatores preponderantes, o que demanda do Estado a necessidade de ações específicas no desenvolvimento de políticas públicas.

Para a psicóloga Tânia Costa Duplatt, os principais fatores contributivos para o suicídio entre os adolescentes e jovens podem esta associados aos dilemas das idade, distúrbios de humor com depressão, transtornos abusivos com o uso de substâncias, a exemplo de álcool e drogas, esquizofrenia, distúrbios de personalidade e ansiedade. O uso excessivo de redes sociais também podem contribuir como um dos fatores estressores para o ato. A psicóloga acrescenta que cerca de 90% dos suicídios podem ser evitados e às Campanhas como o Setembro Amarelo devem fortalecer às redes de acolhimento e oportunizar momentos de conscientização coletiva que devem durar durante todo os períodos do ano, estando presente nas instituições de convívio a exemplo da família e da escola. A psicóloga orienta que em situações de risco é recomendado ligar o número 188 do CVV – Centro de Valorização da Vida, que atende durante todos os dias, 24h e de forma gratuita.

Dada a complexidade do tema o evento se encontra em sua segunda edição na UFRB. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através do e-mail: [email protected] No e-mail, é indispensável informar nome, cidade, instituição de origem e telefone para contato. A atividade também é aberta à comunidade que deverá se inscrever previamente assim como os demais interessados. Todos os participantes terão direito a um certificado que será enviado por e-mail.

Agenda

O QUE: Prevenção ao Suicídio: Ciências, Juventude e Narrativas

QUANDO: 25 de setembro, 9h

ONDE: Auditório do CAHL/UFRB – Campus Cachoeira

QUANTO: Gratuito

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]