Pesquisa de intenção de voto demonstra hegemonia da direita em Feira de Santana e inconsistência de dado com relação a Dayane Pimentel

Tabela com dados sobre a pesquisa de intenção de voto para prefeito de Feira de Santana. Levantamento foi realizado pela Paraná Pesquisa e divulgado em 27 de agosto de 2019.

Tabela com dados sobre a pesquisa de intenção de voto para prefeito de Feira de Santana. Levantamento foi realizado pela Paraná Pesquisa e divulgado em 27 de agosto de 2019.

O levantamento estatístico apresentado pelo Instituto Paraná Pesquisa — através de questionários aplicados entre os dias 22 e 25 de agosto de 2019 e divulgado no dia 27, em que foram abordados a intenção de voto para prefeito de Feira de Santana no pleito eleitoral de 2020 e avaliação da administração municipal conduzida pelo prefeito Colbert Martins Filho (MDB) — apresentou conjunto de dados que merecem reflexão.

Segundo a pesquisa de opinião pública estimulada, José Cerqueira Neto (Zé Neto, PT) lidera a intenção de votos, com 26,5%; seguido por Colbert Martins Filho (MDB), 14,1%; Targino Machado (DEM), 10,6%; Dayane Pimentel (PSL), 10,4%; Carlos Geilson (sem partido), 7,8%; Jhonatas Monteiro (PSOL), 5,5% e Angelo Almeida (PSB), 2,8%. 17,2% disseram que não votam em nenhum dos candidatos e 5,1%, afirmaram não ter opinião definida.

A análise dos dados indica que os partidos de direita e extrema-direita apresentam hegemonia. Quando somadas as intenções de voto de Colbert Martins Filho (MDB), Targino Machado, Dayane Pimentel e Carlos Geilson (sem partido) o campo da direita totalizam 42,9% das intenções de voto.

Enquanto o campo da esquerda e centro-esquerda, somando os votos de Zé Neto, Jhonatas Monteiro e Angelo Almeida (PSB) totalizam 34,8% das intenções de voto.

Observa-se que os votos de Carlos Geilson, ouvidor-geral do Estado da Bahia e ex-integrante do grupo liderado pelo ex-prefeito José Ronaldo não foram contabilizados para o campo da esquerda, porque a identidade política e o último pleito eleitoral do atual membro do Governo Rui Costa ocorreu no campo da direita, tendo, inclusive, disputado o pleito de 2018 pelo PSDB, partido que na Bahia é liderado pelo Magalhismo.

Inconsistência

Um dos dados que apresenta inconsistência é o percentual de intenção de voto atribuído à Dayane Pimentel, deputada federal, liderada do presidente Jair Boslonaro, cujo governo é avaliado negativamente pela população.

Na eleição de 2018, Dayane Pimentel obteve, em Feira de Santana, 15.928 votos. Ocorre que, segundo setores da impressa, ela encomendou a pesquisa que lhe confere 29.681 intenções de voto. O cálculo é feito com base nos dados eleitorais da disputa municipal de Feira de Santana ocorrida em 2016, cujo total de votos destinado aos candidatos à prefeito, no segundo turno, foi de 298.681.

A pergunta que emerge é: como, Dayane Pimentel representando um governo de extrema-direita, marcado por retrocessos socioeconômicos e ambientais e avaliado negativamente pela população conseguiu dobrar o potencial Eleitoral?

É possível supor, no contexto, que a pesquisa não corresponda a realidade, no tocante a Dayane Pimentel, porque é evidente que o cruzamento de dados estatísticos aponta para a perda de potencial eleitoral dos aliados do extremista Jair Bolsonaro.

Observar-se que, no segundo turno das eleições municipais de 2016 em Feira de Santana, do total de 397.588 eleitores inscritos, 67.971 (17,10%) se abstiveram, 329.617 participaram do pleito, sendo que 298.681 (90,61%) votaram e que, destes, 8.314 (2,52%) foram em branco e 22.622 (6,86%) nulos.

Falhas

O relatório da pesquisa apresentado pela empresa Paraná falha, ao não apresentar a metodologia para listagem de nomes a serem incluídos como potenciais candidatos ao pleito de 2020. Por exemplo, o deputado estadual José de Arimateia (Republicanos), o ex-deputado Antônio Lázaro e o vereador de sétimo mandato Roberto Tourinho (PV) não aparecem como potenciais candidatos à prefeito.

Outro dado ausente na pesquisa e que é de relevo para definição de cenário eleitoral é o potencial de influência na definição do voto. Neste aspecto, o ex-prefeito José Ronaldo (DEM), o governador Rui Costa (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não são apresentados no questionário sobre o potencial de definição do voto, caso apoiem um dos nomes para prefeito. Este aspecto é relevante para compreender como o eleitor pretende definir o voto em 2020 e está ausente do relatório da pesquisa.

*Carlos Augusto é cientista social e jornalista.

Baixe

Pesquisa de intenção de voto para prefeito e avaliação da administração municipal de Feira de Santana. Levantamento foi realizado pela Paraná Pesquisa e divulgado em 27 de agosto de 2019

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).