Rio de Janeiro: Religião, sexo, dinheiro, poder e parricídio são os elementos que conformam a morte do pastor Anderson do Carmo; Religioso era casado com a deputada federal Flordelis

A deputada federal Flordelis dos Santos Souza (PSD-RJ) era casada com o pastor Anderson do Carmo.

A deputada federal Flordelis dos Santos Souza (PSD-RJ) era casada com o pastor Anderson do Carmo. Filhos e filha do casal são suspeitos de parricídio.

Os elementos de um roteiro de filme de ficção — poder, religião, sexo, incesto, dinheiro, furto e parricídio — envolvem o caso do assassinato do pastor Anderson do Carmo, ocorrido na própria residência do religioso, na madrugada de 16 de junho de 2019 (domingo), em Pendotiba, Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro. O religioso era casado com a deputada federal Flordelis dos Santos Souza (PSD-RJ) e o casal tinha filhos e filhas biológicos e adotivos.

Segundo reportagem da TV Record, Marzi Teixeira da Silva, uma das filhas adotivas da deputada Flordelis e do pastor Anderson do Carmo, disse aos policiais que ofereceu R$ 10 mil para que o irmão adotivo Lucas dos Santos matasse Anderson, tudo com o conhecimento da mãe. Marzi afirmou ainda que, em 2018, soube através de Flordelis que o pastor tinha tentado abusar sexualmente de uma filha adotiva do casal.

A reportagem do SBT revela que a mãe de Anderson do Carmo, Maria Edna Virgínio do Carmo Oliveira, contou que ocorreu uma trama familiar orquestrada pela deputada Flordelis para matar o próprio marido. A ex-sogra da parlamentar afirmou à polícia que uma filha de Flordelis – com quem Anderson já teve um relacionamento – participou do crime.

Baixe

Caso Anderson do Carmo A grande família de pastores evangélicos destruída a tiros

Confira vídeo

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).