Joaci Góes, o imortal | Por Luiz Holanda

Joaci Góes, advogado, jornalista, empresário e político.

Joaci Góes, advogado, jornalista, empresário e político.

Nascido em Ipirá e batizado com o nome de Joaci Fonseca de Góes, sabia, desde a infância, que um dia seria escritor. Não imaginava, porém, que, antes disso, teria que ser empresário para poder sustentar a si e à sua família. E assim aconteceu, para registrar o sucesso de uma vida que começou nos arraiais de Ponto Alegre e Pau de Ferro, onde o então menino fez o curso primário e gozou as delícias de uma infância interiorana.

Aos 12 anos veio para Salvador, onde cursou o ginasial no Colégio Severino Vieira e o colegial no Colégio Central da Bahia. Nessa época passou a ser conhecido como Joaci Góes, nome com o qual despontou para o empresariado, para as letras jurídicas e para a literatura. Concluído o colegial, ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia (UFBA), local de suas primeiras incursões na política, que terminou por consagrá-lo como um dos mais aguerridos representantes da Bahia na Câmara federal, destacando-se pela oratória, cultura e conhecimentos jurídicos na legislatura da Assembleia Nacional Constituinte (1987-1991).

Em suas atividades parlamentares, foi coordenador da Bancada da Bahia na Câmara Federal e membro titular da Subcomissão da Ciência, Tecnologia e da Comunicação, além da Comissão da Família, Educação, Cultura e esportes, e da Subcomissão do sistema Financeiro, Tributário e Orçamentário. Foi diretor-presidente do Jornal Tribuna da Bahia e coproprietário da TV ARATU. Deixou o jornal em 1967, doando para os colegas sua participação na empresa, apenas pedindo que eles continuassem a obra criada pelo grande Elmano Castro.

Como diretor do jornal enfrentou as restrições impostas pelo regime militar com invulgar bravura, o que o obrigou a deixar a Escola Superior de Guerra, onde cursava matérias como estratégia política e militar, entre outras. Como empresário participou da Construtora Góes, em 1959, juntamente com seu pai e irmãos. Com o surgimento do Banco Nacional de Habitação, a empresa fundiu-se com o banco tornando-se a Construtora Góes-Cohabita, passando a operar no Brasil e no exterior, tanto nas áreas da construção como da agropecuária, da indústria, educação e energia.

Autor de várias obras (dezoito livros publicados), a última – bastante aclamada-, tem o sugestivo título de “Como Governar um Estado – o caso da Bahia”.  Como intelectual e conferencista, é orador, articulista, escritor, ensaísta e comentarista. É, também, membro da Academia de Letras da Bahia, onde ocupa a cadeira nº 7, que tem como Patrono José da Silva Lisboa, Visconde de Cairu. Em março deste tornou-se seu presidente, praticamente por aclamação.

Joaci Góes, além de empresário, tornou-se autor e escritor. Como autor escreveu e publicou livros; como escritor possui a arte de bem escrever, expressando-se com simplicidade em seus livros e em seus brilhantes artigos, publicados na Tribuna. Ao adentrar na Academia de Letras da Bahia, tornou-se imortal.

Segundo os estudiosos, essa palavra é um adjetivo que possui dois gêneros, que praticamente se fundem para simbolizar o que é eterno, dotado de imortalidade. Na literatura, o escritor envereda pelos caminhos mágicos do saber, rumo à imortalidade. Daí Longfellow dizer que as vidas dos grandes homens lembram que eles podem se tornar sublimes, deixando atrás de si as pegadas do tempo.

Joaci Góes é um desses, que percorre o universo do saber com uma visão distinta da vida e do mundo. Merece ser cultuado, reconhecido e lembrado, pois, em sua vasta biografia, seu maior feito, no campo da imortalidade, foi se tornar membro e presidente da Academia Baiana de Letras, entidade cultural que se atém ao trabalho de divulgar nossa cultura justamente do lugar onde ela se eternizará: a Casa dos Imortais.

*Luiz Holanda, advogado e professor universitário.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Luiz Holanda
Luiz Holanda é advogado e professor universitário, possui especialização em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (SP); Comércio Exterior pela Faculdades Metropolitanas Unidas de São Paulo; Direito Comercial pela Universidade Católica de São Paulo; Comunicações Verbais pelo Instituto Melantonio de São Paulo; é professor de Direito Constitucional, Ciências Políticas, Direitos Humanos e Ética na Faculdade de Direito da UCSAL na Bahia; e é Conselheiro do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/BA. Atuou como advogado dos Banco Safra E Econômico, presidiu a Transur, foi diretor comercial da Limpurb, superintendente da LBA na Bahia, superintendente parlamentar da Assembleia Legislativa da Bahia, e diretor administrativo da Sudic Bahia. E-mail para contato: [email protected]