Salvador: Projeto ‘Inclusão em Pauta’ desperta educadores para reconhecimento de estudantes com altas habilidades

Projeto ‘Inclusão em Pauta’, realizado no Instituto Anísio Teixeira integra estrutura da Secretaria da Educação da Bahia.

Projeto ‘Inclusão em Pauta’, realizado no Instituto Anísio Teixeira integra estrutura da Secretaria da Educação da Bahia.

A acessibilidade para estudantes com Altas Habilidades e Superdotação foi o tema do Projeto “Inclusão em Pauta”, realizado nesta sexta-feira (12/07/2019), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, integra a estrutura da Secretaria da Educação do Estado da Bahia. O projeto busca potencializar a política de educação inclusiva na rede estadual por meio de ações formativas, que têm como foco gestores, professores e coordenadores pedagógicos.

A programação do evento incluiu oficinas e painéis que trataram dos conceitos de inteligência e de altas habilidades, mitos, características, indicadores, portfólio, estudo de caso e fatores que podem ocultar e ficha de identificação. Ao final, todos os participantes puderam entrevistar a mãe de um estudante com superdotação.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAHS), Ritta de Cássia de Araújo, a atividade tem o intuito de fazer com que os educadores despertem para o reconhecimento das Altas Habilidades. Neste sentido, explica que existem dois tipos de estudantes: o acadêmico de pensamento convergente e produtivo criativo de pensamento divergente. “No processo de identificação é importante que o professor saiba destes conceitos”, afirmou.

Outro aspecto observado pela Jaqueline Lima, também do NAAHS, é a necessidade do respeito às diferenças na formação humana. “A partir de atividades como esta é que a gente desvenda um universo que é desconhecido para muitos e angustiante para quem vive esta realidade”, disse. Ela cita personalidades como Albert Einstein e Carl Jung como exemplos de pessoas de com altas habilidades/superdotação, que na sua época tiveram dificuldades de serem reconhecidos. “Einstein era considerado um péssimo aluno na escola formal”, contou.

O atendimento no NAAHS é feito com base na avaliação do desenvolvimento emocional e cognitivo, que na maioria das vezes estão em níveis diferenciados. Nestes casos, oferece suporte no contraturno do ensino formal. Somente quando estão equilibrados é possível aceleração.

Professora do Colégio Rotary de Salvador e mãe de estudante com superdotação, Gisele de Almeida abordou a necessidade da criação de uma ferramenta que dê suporte ao relacionamento com a escola e com os professores. “Tenho que sempre repetir, todos os anos, as informações sobre o que ele gosta e o que não”.  O portfólio, que seria a ferramenta ideal para esta situação, foi um dos assuntos abordados durante as oficinas.

Sobre o projeto

O Projeto Inclusão em Pauta faz parte da Formação Continuada dos Professores, oferecendo instrumentos pedagógicos da educação inclusiva que potencializem seu trabalho em sala de aula. O projeto continua ao longo de 2019, com encontros mensais previstos entre agosto e novembro. As ações são divulgadas nas redes sociais do Instituto e no Portal da Educação.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]