No desfile do Dois de Julho, deputado Nelson Leal pede revisão histórica da “Independência do Brasil”; Presidente da ALBA disse que que a efetiva libertação do país só aconteceu em 1823

Deputado Nelson Leal, presidente da ALBA, participa dos festejos do 2 de Julho e defende revisão histórica.

Deputado Nelson Leal, presidente da ALBA, participa dos festejos do 2 de Julho e defende revisão histórica.

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado Nelson Leal, defendeu, na manhã de hoje (02/07/2019), na cerimônia oficial dos tradicionais festejos pelo 2 de Julho – data em que é comemorada a Independência da Bahia, que os livros de história do Brasil façam uma revisão histórica e adotem o 2 de Julho de 1823 como data da efetiva independência, deixando o Brasil de ser colônia de Portugal.

“A proclamação da Independência é de 7 de Setembro de 1822, mas o exército português só foi derrotado e expulso definitivamente do país em julho do ano seguinte, na Batalha de Pirajá. O que vale é o dia da libertação e não da assinatura do documento de independência. Não é demais lembrar que, somente em 12 de outubro de 1822, D. Pedro é proclamado Imperador e o Brasil vira Império. Portanto, historicamente, a data da nossa Independência deveria ser 2 de Julho de 1823”, defende Leal.

Representando o Legislativo baiano, Nelson Leal participou do hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia, de Salvador e do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), ao lado do vice-governador João Leão; do prefeito de Salvador, ACM Neto; e do professor Eduardo Morais de Castro, presidente do IGHB. Leal também acompanhou os dois dos símbolos dos festejos, o Caboclo e a Cabocla, saindo da Lapinha em direção ao Centro Histórico de Salvador.

“A Independência da Bahia é a única festa cívica brasileira com participação popular. É a verdadeira celebração da Independência do Brasil: foi aqui que os brasileiros defenderam a pátria contra o exército português. Os baianos consolidaram realmente a nossa independência e realizam uma emocionante celebração. Todo o Brasil deveria render homenagens aos heróis do Dois de Julho”, defende o presidente da ALBA.

As solenidades do dia se encerrarão por volta das 17h, no Campo Grande, com Nelson Leal, ao lado do governador Rui Costa e do prefeito ACM Neto, entre outras autoridades, depositando flores no Monumento ao 2 de Julho e assistindo ao acendimento da pira do fogo simbólico pela Independência da Bahia.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]