Presidente Donald Trump alertou Irã para ataque iminente e pediu conversas, dizem autoridades do Irã

Donald Trump, presidente dos EUA, ameaça atacar Irã.

Donald Trump, presidente dos EUA. Autoridades do Irã disseram que o país recebeu uma mensagem do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertando que um ataque norte-americano ao Irã é iminente, mas dizendo que não quer guerra, e sim debater uma série de assuntos.

A notícia sobre a mensagem, entregue via Omã de madrugada desta sexta-feira (21/06/2019), veio pouco depois de o jornal New York Times dizer que o presidente Donald Trump aprovou ataques militares dos Estados Unidos da América (EUA) contra o Irã nesta sexta-feira por causa da derrubada de um drone de vigilância dos EUA, mas os cancelou na última hora.

“Em sua mensagem, Trump disse que é contra qualquer guerra com o Irã e que quer conversar com Teerã sobre vários assuntos”, disse uma das autoridades à Reuters, pedindo anonimato.

“Ele deu um período de tempo curto para receber nossa resposta, mas a resposta imediata do Irã foi que cabe ao líder supremo (aiatolá Ali) Khamenei decidir sobre esta questão”, disse a fonte.

Uma segunda autoridade iraniana disse: “Deixamos claro que o líder é contra qualquer conversa, mas a mensagem será transmitida para que ele tome uma decisão”.

“Entretanto, dissemos à autoridade omanense que qualquer ataque contra o Irã terá consequências regionais e internacionais”.

Após semanas de tensão crescente, na esteira de uma série de ataques a navios-tanque na região do Golfo Pérsico, o Irã disse na quinta-feira que abateu um drone militar de vigilância dos EUA com um míssil terra-ar.

Após a derrubada da aeronave, Trump sinalizou que não está disposto a uma escalada no impasse com o regime em reação às suas atividades nuclear e de mísseis balísticos e ao seu apoio a forças que atuam em seu nome em vários conflitos no Oriente Médio.

Ele disse que o drone pode ter sido abatido por engano por alguém que estava agindo “como um idiota descontrolado”, mas acrescentou: “Este país não o tolerará”.

O incidente agravou os temores globais de um confronto militar direto entre os inimigos de longa data, e nesta sexta-feira os preços do petróleo subiram mais um dólar por barril, passando de 65,50 dólares, devido às apreensões a respeito de possíveis transtornos nas exportações de petróleo cru do Golfo.

Segundo um funcionário de alto escalão dos EUA citado pelo NYT, aviões decolaram e navios foram posicionados para um ataque retaliatório ao Irã, mas depois receberam ordens de não agir, e nenhuma arma foi disparada.

Teerã disse ter abatido um drone de vigilância sem armas Global Hawk enquanto ele espionava parte de seu território litorâneo, e nesta sexta-feira a televisão estatal mostrou o que disse serem seções recuperadas da aeronave.

Já Washington afirmou que o drone estava no espaço aéreo internacional sobre o Estreito de Hormuz.

Irã diz que se absteve de abater avião dos EUA com 35 pessoas, segundo Tasnim

O Irã se absteve de abater um avião norte-americano com 35 pessoas a bordo que acompanhava a aeronave não tripulada que foi abatida no Golfo Pérsico, disse um comandante da Guarda Revolucionária iraniana nesta sexta-feira.

Amirali Hajizadeh, chefe da divisão aeroespacial da Guarda Revolucionária, afirmou, segundo a agência de notícias Tasnim: “Com o drone norte-americano na região havia também um avião americano P-8 com 35 pessoas a bordo. Esse avião também entrou em nosso espaço aéreo e nós poderíamos tê-lo derrubado, mas nós derrubamos”.

*Reportagem de Babak Dehghanpisheh, Jamie Freed, David Shepardson, Tom Westbrook, Tom Balmforth, Roberta Rampton, Phil Stewart e Bozorgmehr Sharafedin.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]