Etanol varia até 11% entre os postos da Região Nordeste, revela índice da Ticket Log

Tabelas apresentam dados de junho de 2019 de preços do litro de etanol.

Tabelas apresentam dados de junho de 2019 de preços do litro de etanol.

Pelo terceiro mês consecutivo, o preço dos combustíveis subiu nos postos da Região Nordeste, aponta o levantamento de maio de 2019 do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). A gasolina registrou alta de 2,7%, e a variação para o combustível ficou em 8%, na comparação entre os Estados. O preço do etanol avançou 2,8% em relação à média de abril  e foi comercializado a R$ 3,745. O valor do litro apresenta uma diferença de até 11% nos postos de toda a região.

“O último IPTL também mostra que o aumento no preço do etanol no Nordeste foi o mais alto do País, com média de 2,8%. Em Alagoas, o reajuste nos postos para o combustível chegou a 11%, o maior de todo o território nacional, com o litro vendido a R$ 3,999, ante os R$ 3,600 do mês anterior”, comenta o Diretor-Geral de Frota e Soluções de Mobilidade da Edenred Brasil, Jean-Urbain Hubau (Jurb).

No recorte local, o Rio Grande do Norte teve o maior aumento no preço médio da gasolina, com variação de 5,2%. Lá, o litro passou de R$ 4,59, em abril, para R$ 4,83, em maio. Já o valor médio mais elevado para o combustível foi registrado no Piauí, com o litro vendido a R$ 4,961, ante os R$ 4,579 da Paraíba.

Na Paraíba, o diesel comum também foi o mais em conta da região, vendido a R$ 3,74, valor 4% menor que o dos postos do Ceará, onde o combustível ficou na média de R$ 3,892. Os postos de Pernambuco também se destacaram com o menor preço médio do diesel S-10 e do gás veicular natural (GNV), a R$ 3,699 e R$ 2,699, respectivamente.

A Bahia liderou o ranking do etanol mais barato, com o litro vendido a R$ 3,59, valor 11% menor que o vendido em Alagoas, a R$ 3,999. No Maranhão e em Sergipe, a gasolina apresentou reajuste médio de 3,3%, e foi vendida a R$ 4,70 e R$ 4,859, respectivamente.

No contexto nacional, mesmo diante das medidas de manutenção nos valores nas bombas, em maio, o diesel registrou o maior preço médio dos últimos 12 meses. Com o combustível vendido à média de R$ 3,822, o valor chegou a ser 5% maior que o registrado nas bombas semanas antes da crise de abastecimento que afetou o País em 2018. No mesmo período do ano passado, o litro apresentava média de R$ 3,65.

A gasolina, com média de R$ 4,704, apresentou variação de 2%, quando comparada ao valor identificado nos postos durante o pico da crise, que era de R$ 4,61. Já o etanol, com o litro vendido à média de R$ 3,711, a variação chega a 26%, no comparativo com os R$ 2,93 mapeado pelo IPTL em 2018, durante os dias afetados pela falta de abastecimento.

O IPTL é um índice mensal de preços de combustíveis levantados com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados da Ticket Log, que traz grande índice de acerto devido à quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com média de oito transações por segundo. A Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, conta com 25 anos de experiência e se adapta às necessidades dos clientes, oferecendo soluções modernas e inovadoras a fim de simplificar os processos diários.

Sobre a Ticket Log

A Ticket Log atua no segmento de gestão de despesas corporativas no Brasil, por meio de gestão de abastecimento, manutenção e outras soluções integradas. Acumulando 25 anos de experiência, a Ticket Log se torna a marca mais completa do mercado nacional, entregando soluções em mobilidade para empresas de todos os tamanhos. Atualmente, conta com 27 mil empresas-clientes, administra 1 milhão de veículos em sua base de clientes e possui uma rede de mais de 36 mil comerciantes credenciados.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]