Associação mundial de jornalistas critica ataques do presidente Jair Bolsonaro à mídia

Jair Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da República, durante apresentação pela internet. Festival de asneiras ditas pelo governante evidenciam elevado grau de analfabetismo funcional.

Jair Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da República, durante apresentação pela internet. Festival de asneiras ditas pelo governante evidenciam elevado grau de analfabetismo funcional.

O caráter antidemocrático de Jair Bolsonaro (PSL) preocupa a Associação Mundial de Jornais e Publishers de Notícias, da sigla em inglês WAN-INFRA. Em nota, a organização criticou o clã Bolsonaro por bloquear jornalistas nas redes sociais e boicotar veículos de imprensa. Trecho do documento foi publicado pela Folha de S. Paulo na quinta-feira (06/06/2019)

A organização, que reúne 3 mil jornalistas e empreendedores de tecnologia ao redor do mundo, criticou a hostilidade que o governo e seus apoiadores promovem contra profissionais da imprensa. Eles também comparam Jair Bolsonaro ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmando que ambos se esforçam em “desacreditar o papel da imprensa na democracia”.

Em nota, a entidade afirma que “tais atitudes buscam criar um conflito com os fatos e minar a legitimidade da imprensa profissional”. E critica que “governos populistas e seus apoiadores têm encorajado o descrédito de qualquer narrativa que não vá ao encontro de suas visões de mundo.”

Um exemplo concreto do que diz a organização foi o linchamento virtual que a rede bolsonarista promoveu contra a jornalista do Estado de S. Paulo, Constança Rezende, que chegou a desativar seu perfil nas redes sociais. O ataque foi incentivado por Jair que publicou em suas redes sociais uma notícia falsa do site Terça Livre, produzida por uma assessoria de seu partido, o PSL.

Constança é filha do também jornalista Chico Otávio, de O Globo, autor de reportagens investigativas sobre as milícias do Rio de Janeiro. Nesse contexto, é importante destacar que não faltam indícios de envolvimento da família Bolsonaro com milicianos, alguns deles com familiares empregados no gabinete de Flávio, senador e ex-deputado estadual do Rio.

São recorrentes ainda as publicações de toda família acusando de falsas as informações que não os agradam, mesmo que estejam documentadas em páginas oficiais do governo.

As tentativas de boicotar o trabalho da imprensa começaram antes mesmo de ser empossado. No primeiro discurso oficial de Jair Bolsonaro após as eleições, pelo menos seis veículos foram barrados pela segurança e impedidos de participar da coletiva.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]