Feira de Santana sedia edição 2019 do Fórum Sesc Nordeste das Artes

Cartaz anuncia Fórum Sesc Nordeste das Artes em Feira de Santana.

Cartaz anuncia Fórum Sesc Nordeste das Artes em Feira de Santana. Projeto integra conjunto de iniciativas dos Departamentos Regionais do Sesc e trará grandes nomes para discutir, através de painéis temáticos, a rede produtiva da cultura na Bahia.

O Sesc Bahia realizará o Fórum Sesc Nordeste das Artes, nos dias 07 e 08 de maio, das 9h às 17h30, no Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA). Esta ação integra um conjunto de iniciativas que estão sendo realizadas colaborativamente pelos nove Estados da região Nordeste.Em sua primeira edição, o projeto tem como objetivo fomentar maior proximidade entre os Estados da região e promover trocas de saberes, por meio de fóruns, debates e vivências artísticas tendo como participantes os profissionais que atuam no campo da cultura e da arte.

Cada Estado realizará um fórum local, que desembocará no Fórum Regional, a ser realizado na cidade de Teresina, no Piauí, entre os dias 27 e 29 de maio.

Os fóruns locais funcionarão como espaços geradores de debates e de mapeamentos das questões inerentes à cadeia produtiva local com o intuito de mapear as principais demandas que se erguem em torno da cultura em cada contexto cultural. Sendo assim, cada um deles funcionará como um laboratório de ideias sobre a cultura e os modos de organizá-la quando se trata de definir diretrizes de política cultural, tanto no setor público como no privado.

Os debates serão gratuitos e realizados a partir de painéis temáticos com convidados locais e regionais, envolvendo questões do campo da cultura, educação, economia criativa e políticas culturais. Os painéis a serem discutidos no fórum da Bahia serão: Gestão de Equipamentos Culturais; Públicos e Mediação Cultural; Arte, Representatividade e Poéticas identitárias; Gestão e sustentabilidade de grupos e coletivos artísticos; e Festivais de Artes da Bahia.

O Fórum Nordeste das Artes é uma realização Sesc e conta com o apoio da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) através do Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA).

Programação

07/05/2019 (ter)

09h às 11h – Painel Gestão de Equipamentos Culturais, com Ana Vaneska e Luiz Augusto Oliveira – Mediação: Maria Marighella

13h às 15h – Painel Arte, Representatividade e Poéticas Identitárias, com Mariana Paim e Kbça – Mediação: Gordo Neto

15h20 às 17h30 – Painel Festivais de Artes da Bahia, com Elsimar Pondé e Elizete Destéffani – Mediação: Gordo Neto

08/05 (qua)

09h às 11h – Painel Públicos e Mediação Cultural, com Rita Aquino e Jacy Queiroz – Mediação: Poliana Bicalho

13h às 15h – Painel Gestão e Sustentabilidade de Grupos e Coletivos Artísticos, com Ellen Mello e Geovane Mascarenhas – Mediação: Maria Marighella

15h20 às 17h30 – Painel Panorama da Formação em Arte, com Profs. Aldo José e Beth Rangel – Mediação: Poliana Bicalho

Os painéis

  1. Gestão de Equipamentos Culturais: Discutir a importância dos equipamentos destinados à criação, difusão e fruição cultural como locais de proteção e promoção à diversidade de manifestações e expressões artísticas e culturais. Quais os desafios em gerir um equipamento cultural – principalmente no que diz respeito a curadoria, relações com os diferentes públicos, com outros espaços, artistas e a cidade, políticas públicas, sustentabilidade financeira, etc?; Relato de experiências acerca de gestão de equipamentos culturais; Linhas de fomento específicas para os equipamentos culturais (criação, manutenção, programação, etc).
  2. Públicos e Mediação Cultural: Estudos, análises e reflexões acerca dos hábitos e práticas culturais, observando tendências contemporâneas e novas perspectivas. Estudo dos públicos culturais como instrumento importante para a formulação de políticas, programas e projetos culturais. Procedimentos de pesquisa e de sondagem de públicos culturais. Contextos da produção artístico-cultural na atualidade (tradição x contemporaneidade; pontos de interseções e confluências; territórios e corredores culturais; etc) e sua relação com os públicos e demais elos da cadeia produtiva. Estratégias de mediação cultural – como garantir a sistematicidade? Experiências locais.
  3. Arte, Representatividade e Poéticas identitárias: O processo de construção e formação identitária do artista e de sua produção. Estratégias de envolvimento e engajamento dos diversos públicos. Poéticas identitárias da contemporaneidade no processo de criação artística. Arte, identidade e públicos: transpondo fronteiras culturais. Representatividade: das identidades aos processos identitários na arte. Representações “marginais” (à margem): conexões entre cultura e poder. Reflexões socioculturais acerca dos públicos de cultura em sua diversidade. Arte como espaço de reflexão sobre diversidade e suas possibilidades de transpor barreiras. Representatividade (feminina / negra / indígena / diversidade gênero) nas artes.
  4. Gestão e sustentabilidade de grupos e coletivos artísticos: Refletir sobre a gestão de grupos e coletivos artísticos, abordado a sua realidade cotidiana, as questões relacionadas ao planejamento coletivo, as tendências para uma perspectiva de sustentabilidade, a importância da circulação e intercâmbio para o fortalecimento do trabalho artístico. Discutir sobre os instrumentos e políticas de fomento à produção e acesso aos bens culturais existentes, suas potencialidades e inadequações às demandas desses grupos. Formas e estratégias de sustentabilidade e manutenção.
  5. Festivais de Artes da Bahia: A importância dos Festivais para a cadeia produtiva das artes, para a formação de artistas e dos públicos. Os festivais são espaços no qual é possível conhecer a diversidade cultural do país e de fazer circular ao mesmo tempo diversos grupos e coletivos artísticos. Como garantir a sustentabilidade dessas iniciativas? Qual a importância deles para os elos da cadeia produtiva: criação, difusão e consumo? Quais as perspectivas contemporâneas no que diz respeito aos formatos dos festivais? Como os festivais se relacionam com seus públicos? Como estabelecem sua comunicação? Como os festivais se relacionam entre si?
  6. Panorama de Formação em Arte: Provocar reflexões e questionamentos sobre a formação e profissionalização do artista. Discutir o papel do artista contemporâneo na sociedade, os espaços ocupados pela arte na esfera da cultura e verificar a relação decorrente entre o campo de formação do artista e sua atuação nos diversos segmentos da sociedade. As principais carências e dificuldades para a profissionalização do artista, sobretudo, nas cidades de pequeno e médio porte.

Atividades do Nordeste das Artes

Além dos Fóruns, o projeto Nordeste das Artes integra também Vivências artísticas. Em meio a teia de realização dos fóruns estaduais/locais e o Fórum Regional ocorrerão cinco vivências artríticas em cinco estados do Nordeste entendidos como Territórios de Pousos. Tais vivências contemplarão as áreas de Música a ser realizada na Mostra Sesc Sonoridade de Bandas, que ocorre no Cariri – CE, em Maio; Artes Visuais e Audiovisual ocorrerá junto ao Projeto Galeria Sesc – Natal/RN, em Julho; Literatura por ocasião da Aldeia Sesc de Artes – Janelas Literárias em Aracaju – SE, em Agosto; a vivência de Circo está prevista para acontecer em João Pessoa – PB, em Outubro; e a de Patrimônio cultural (Encontro de mestres da cultura popular), ocorrerá em Feira de Santana – BA, em Setembro de 2019.

Agenda

O que: Fórum Sesc Nordeste das Artes

Quando: 7 e 8 de maio de 2019, das 9h às 17h30

Onde: Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA) – Feira de Santana

Quanto: Gratuito – Acesso livre (sujeito à lotação)

Cartaz anuncia Fórum Sesc Nordeste das Artes em Feira de Santana

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).