Em Nova York, patrocinadores abandonam jantar de gala em homenagem ao presidente Jair Bolsonaro

Presidente desiste de receber homenagem da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Escolha de Jair Bolsonaro foi criticada por políticos americanos e ativistas. Várias empresas retiraram patrocínio do evento.  Patrocinadores de evento têm sofrido pressão de ativistas devido a declarações homofóbicas e misóginas de Bolsonaro.

Presidente desiste de receber homenagem da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Escolha de Jair Bolsonaro foi criticada por políticos americanos e ativistas. Várias empresas retiraram patrocínio do evento.  Patrocinadores de evento têm sofrido pressão de ativistas devido a declarações homofóbicas e misóginas de Bolsonaro.

Vários patrocinadores de um jantar de gala em Nova York, onde o presidente brasileiro Jair Bolsonaro receberá o prêmio de “Personalidade do Ano”, em 14 de maio, se retiraram do evento, ao mesmo tempo em que ativistas aumentam a pressão para que o evento seja cancelado.

A companhia aérea norte-americana Delta, o jornal britânico Financial Times e a consultoria Bain & Company confirmaram nesta sexta-feira (03/05/2019) à AFP que retiraram seu patrocínio ao jantar de gala anual da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, que este ano presta homenagem a Bolsonaro.

Manifestantes brasileiros e americanos de 12 grupos diferentes, incluindo vários ambientalistas e ativistas LGBT, protestaram contra Bolsonaro todas as noites em frente ao hotel Marriott Marquis na Times Square, no coração de Manhattan, onde será realizado o jantar.

Tsunami de críticas

O evento deveria acontecer inicialmente no Museu de História Natural de Nova York, mas este o cancelou após receber um tsunami de críticas. Os ativistas lançaram uma nova petição, #CancelBolsonaro, para que o Marriott Marquis também boicote o evento. Promovida pelo senador do estado de Nova York, Brad Hoylman, que é homossexual, o documento online já recolheu mais de 53.000 assinaturas.

“Ao acolher este evento, o Marriott está dando a Bolsonaro uma plataforma que recompensa seu abominável comportamento”, afirma a petição. “Continuaremos protestando em frente ao hotel todo o dia para que cancelem”, disse à AFP Natalia de Campos, do Comitê para a Defesa da Democracia Brasileira em Nova York, uma das organizadoras das manifestações diárias contra o jantar de gala que deverá ser oferecido a Bolsonaro.

Com informações da agência AFP e da RFI.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Nilson Weisheimer
Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS – 2009), Pós-Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP – 2015), professor adjunto da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS/UFRB), líder dos Grupos de Pesquisa do CNPq: Núcleo de Estudos em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural (NEAF/UFRB) e Observatório Social da Juventude (OSJ/UFRB), e vencedor do Prêmio CAPES de Teses em Sociologia 2010.