China é a maior proprietária estrangeira de bônus americanos

Vista parcial da zona portuária de Manhattan, cidade de Nova Iorque, EUA.

A fatia chinesa de propriedade de bônus do Tesouro dos Estados Unidos caiu para US$ 1,12 trilhão em março de 2019, após um crescimento de três meses consecutivos, de acordo com os dados divulgados pelo Departamento de Tesouro norte-americano.

A China, que segue sendo a maior proprietária de bônus do Tesouro dos Estados Unidos, tinha US$ 1,131 trilhão em fevereiro, uma alta leve ante o mês anterior.

de bônus americanos aumentou para US$ 1,078 trilhão em março, em comparação com o montante de US$ 1,072 trilhão em fevereiro.

Em combinação, a China e o Japão têm mais de um terço da propriedade estrangeiras dos bônus americanos.

Somando as aquisições estrangeiras líquidas de bônus de longo prazo, de curto prazo e fluxos bancários, o resultado foi de um fluxo estrangeiro líquido de US$ 8,1 bilhões em bônus norte-americanos em março, mostraram os dados.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).