ALBA: Deputados criticam Governo Bolsonaro por bloqueio de R$ 37,3 milhões em verbas da UFBA

Sessão plenária da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) presidida pelo deputado Alex Lima (PSB).

Sessão plenária da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) presidida pelo deputado Alex Lima (PSB).

A sessão ordinária desta segunda-feira (06/05/2019), na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), repercutiu o ato realizado na capital baiana contra o bloqueio de R$ 37,3 milhões em verbas da Universidade Federal da Bahia (Ufba), anunciado na última semana pelo Ministério da Educação (MEC). A manifestação, ocorrida pela manhã, mobilizou a comunidade acadêmica  estudantes, professores e técnicos da universidade – e outros segmentos da sociedade.

Hilton Coelho (Psol) iniciou o pequeno expediente da sessão chamando a atenção para o ato, que se concentrou na Faculdade de Educação e seguiu em caminhada até a reitoria da instituição. O legislador afirmou que o corte feito pelo MEC inviabiliza o funcionamento das universidades federais a partir do segundo semestre. “As universidades públicas produzem 95% das pesquisas feitas no Brasil”, frisou o parlamentar em sua fala.

A deputada Olívia Santana (PC do B) informou que protocolou na Casa um pedido de sessão especial em defesa das universidades federais públicas, gratuitas e de qualidade. “Mais de três mil pessoas saíram em marcha pela universidade e contra o corte de verbas. É inadmissível o que está acontecendo como política de governo. Esse corte de 30% significa menos R$ 230 milhões no orçamento da Ufba”, afirmou a parlamentar, acrescentando que a medida alcança também as universidades federais do Recôncavo (UFRB), do Oeste (Ufob) e do Sul da Bahia (UFSB).

O deputado Jacó (PT) associou-se aos discursos em defesa da Ufba. “Essa medida vai cortar a assistência estudantil, um auxílio para os quilombolas, indígenas, aqueles e aquelas que mais precisam. Isso pode levar a uma universidade composta por brancos e ricos, o que aumenta a exclusão social no nosso país”, alertou o petista.

Adolfo Menezes (PSD) também fez coro em prol das instituições e contra os cortes de verbas anunciado pelo Governo Federal: “A Educação é o principal ministério de qualquer governo. Entra um ministro e, como uma das primeiras medidas, por ideologia, corta de cara 30 % dos recursos das universidades federais”, ressaltou o pessimista, mostrando-se ainda preocupado com o cenário econômico do Brasil.

O deputado Robinson Almeida (PT) destacou que esteve também no ato em apoio à Ufba, ao lado de outras lideranças políticas. “Querem parar a Ufba, acabar com a vigilância, com a limpeza, com o funcionamento da universidade, que não terá condição de prosseguir com a sua pesquisa e suas atividades acadêmicas”, listou Almeida.

Jusmari Oliveira (PSD) registrou que o corte dos investimentos nas universidades federais foi veementemente criticado em encontro do seu partido, nesta manhã, em Salvador: “Fizemos ali um grande momento de reflexão, todos externando o repúdio com essa atitude vil e irresponsável do Governo Federal. Ninguém pode medir ainda as consequências, nesse momento, da retirada dos recursos de nossas universidades, especialmente da Ufba”.

Já o deputado Tom Araújo (DEM) pediu ao Governo do Estado a recuperação de estradas na Região do Sisal, mais precisamente em trechos de Conceição do Coité até Valente e deste município até Santaluz, e também entre Queimadas e Cansanção.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]