A dança contemporânea brasileira é tema da série ‘Ensaios Contemporâneos’, que estreia no canal Curta!

A crítica de dança Helena Katz fala sobre a trajetória da dança contemporânea.

A crítica de dança Helena Katz fala sobre a trajetória da dança contemporânea.

Em dez episódios, a série inédita ‘Ensaios Contemporâneos’ mostra os passos da dança contemporânea no país, dos primórdios aos dias de hoje, e destaca importantes companhias, pela ótica de críticos, estudiosos, bailarinos e coreógrafos. O diretor Eduardo Hunter traça uma espécie de linha do tempo, começando pelas reminiscências clássicas e modernas na dança contemporânea, a abertura para uma maior diversidade técnica, a libertação da fórmula restrita aos moldes dos balés europeus e o estudo e o diálogo com movimentos que sequer faziam parte do universo dos bailarinos até o advento da contemporaneidade – ou pós-modernismo. O primeiro capítulo, “Dança contemporânea brasileira, uma trajetória”, se inspira em um artigo considerado fundamental à dança brasileira: “Ten Theses on Brazilian Dance”, de Helena Katz. Em entrevista para a série, ela diz: “Se a gente quiser abrir mão da perspectiva do colonial, a gente vai ter que admitir que aqui já tinha dança antes do colonizador chegar porque aqui já tinha gente. (…) Nós nos comportamos por muito tempo como o colonizador gosta, adotando os valores deles”. A série “Ensaios Contemporâneos” foi produzida com exclusividade para o Curta! com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual, da Ancine. A estreia é na Terça das Artes, 14/05, às 23 horas.

Último episódio de ‘Guerras do Brasil.doc’, de Luiz Bolognesi, aborda as guerras do tráfico de drogas

A série documental e exclusiva do Curta! “Guerras do Brasil.doc”, de Luiz Bolognesi, sobre os conflitos mais marcantes da história do Brasil, chega ao fim com uma temática bastante atual: a guerra do tráfico de drogas, contada no episódio final, “Universidade do Crime”. Especialistas em segurança pública e historiadores destrincham a gênese e o desenvolvimento das organizações criminosas predominantes no país, o Comando Vermelho e o PCC (Primeiro Comando da Capital). Em seguida, refletem sobre o modus operandi e o financiamento de cada uma, explicam como se deu o crescimento de ambas as facções, bem como a origem de suas ramificações e os conflitos internos. Entre os entrevistados estão o ex-secretário de Segurança do Rio de Janeiro José Mariano Beltrame, o ex-chefe da Polícia Civil carioca Hélio Luz, os pesquisadores em violência urbana e segurança pública Bruno Paes Manso e Camila Nunes Dias e o jornalista Carlos Amorim, especializado no tema. A produção é da Buriti Filmes. Exibição na Sexta da Sociedade, 17/05, 23h25.

Segunda da Música (13/05)

21:05 horas – “Cale-se – A censura musical” (Série) – Episódio “Do Ato Institucional ao Festival”

O episódio apresenta a relação entre o AI-5 e a MPB, mostrando como os artistas receberam o anúncio do ato institucional. Ricardo Cravo Albin reflete sobre as perdas que a música brasileira sofreu por conta do recrudescimento do regime. O advogado João Carlos Müller explica como passou a funcionar o trâmite da censura musical, e os artistas contam sobre como o decreto interferiu em seus processos criativos. Geraldo Azevedo, por exemplo, fala sobre sua amizade e parceria com Geraldo Vandré, cuja canção “Pra não dizer que não falei de flores” ficou imortalizada como um dos hinos contra a ditadura. Diretor: Marcus Fernando. Duração: 26min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 14 de maio, terça-feira, às 01h05 e às 15h05; 15 de maio, quarta-feira, às 09h05; 19 de maio, quinta-feira, às 17h30.

Terça das Artes (14/05)

23 horas – “Ensaios Contemporâneos” (Série) – Episódio “Dança contemporânea brasileira, uma trajetória”.

Baseado no artigo “Ten Theses on Brazilian Dance”, de Helena Katz, o episódio apresenta uma trajetória da dança contemporânea brasileira, além de conceitos básicos e características marcantes, como a abertura para diferentes estilos de técnicas corporais, o diálogo constante com a investigação e a reflexão e os diferentes modelos de companhia de dança. Além da própria Helena, costuram o episódio diversos teóricos e artistas da dança no Brasil. Diretor: Eduardo Hunter Moura. Duração: 52 min. Classificação: 16 anos. Horários alternativos: 15 de maio, quarta-feira, às 03h e às 17h; 16 de maio, quinta-feira, às 11h; 18 de maio, sexta-feira, às 20h45; 19 de maio, domingo, às 10h50.

Quarta de Cinema (15/05)

20 horas – A faixa “A Vida é Curta!” traz os curtas-metragens “Babás” e “Rainha”.

Babás (Documentário)

Fotografias, filmes de família, anúncios de jornais do século XX constroem uma narrativa pessoal sobre a presença das babás no cotidiano de inúmeras famílias brasileiras, mostrando uma situação em que o afeto é genuíno, mas não dissolve a violência.  Diretor: Consuelo Lins. Duração: 21 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de maio, quinta-feira, às 00h e às 14h; 17 de maio, sexta-feira, às 08h; 18 de maio, sábado, às 14h; 19 de maio, domingo, às 01h10.

Rainha (Documentário)

Rita finalmente realiza o sonho de se tornar a rainha de bateria da escola de samba de sua comunidade; porém, ela terá que lutar contra forças obscuras, internas e externas. Diretora: Sabrina Fidalgo. Duração: 30min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de maio, quinta-feira, às 00h21 e às 14h21; 17 de maio, sexta-feira, às 08h21; 18 de maio, sábado, às 14h25; 19 de maio, domingo, às 01h35.

Quinta do Pensamento (16/05)

21 horas – “Imortais da Academia” (Série) – Episódio “Cadeira 26: O homem, o espaço, o tempo”.

O homem cordial de Ribeiro Couto. O coronel nordestino de Marcos Vinicios Vilaça. O carioca da Belle Époque de João do Rio. Na cadeira 26 da Academia Brasileira de Letras, um paulistano, um pernambucano e um carioca que viveram recortes de tempo e espaço completamente diferentes uns dos outros contribuem para a literatura com visões diversas sobre o homem. Diretor: Belisario Franca. Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 17 de maio, sexta-feira, às 01h e às 15h; 18 de maio, sábado, às 09h30; 20 de maio, segunda-feira, às 09h.

Sexta da Sociedade (17/05)

23:25 horas – “Guerras do Brasil.doc” (Série) – Episódio “Universidade do Crime”

“A Guerra do Tráfico” traz para a TV uma guerra contemporânea: a guerra das ruas brasileiras, onde morrem cerca de 60 mil pessoas todos os anos. Vamos entender a gênese das organizações criminosas que comandam o tráfico de drogas. O episódio conta a origem, no Rio de Janeiro, do Comando Vermelho, organização que nasceu e cresceu nos presídios cariocas. Narra como o “CV” organizou o crime e o tráfico nas comunidades cariocas. Em São Paulo, o foco é o nascimento do PCC, (Primeiro Comando da Capital), na década de 1990, como foi estruturado, como ele financia os crimes, suas regras e o seu fortalecimento e ascensão na ausência total do Estado. Diretor: Luiz Bolognesi. Duração: 26 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 18 de maio, sábado, às 3h45 e às 13h25; 19 de maio, domingo, às 20h15; 20 de maio, segunda-feira, às 17h25; 21 de maio, terça-feira, às 11h25.

Sobre o Curta!

Dedicado às artes, à cultura e às humanidades, o Curta! é um canal independente que acolhe a experimentação e se orgulha de ser um parceiro dos realizadores, artistas, criadores e produtores. Com o compromisso de transmitir 12 horas por dia de programação nacional independente, o canal pauta a sua programação pelos seguintes temas: música, dança, teatro, artes visuais, arquitetura, metacinema, filosofia, literatura, história política e sociedade.

O Curta! pode ser visto nos canais 56 e 556 da NET e da Claro TV, no canal 75 da Oi TV e no canal 664 da Vivo, oferecido à la carte pela operadora. Siga o Curta! nas redes sociais: www.facebook.com/CanalCurta, https://twitter.com/canalcurta e www.youtube.com/user/canalcurta. Saiba mais em http://www.canalcurta.tv.br.

Confira vídeo

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]