Presidente do STF critica força-tarefa do Caso Lava Jato por ataque a Justiça Eleitoral e anuncia representação contra procurador da República

Ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Ministro Dias Toffoli, presidente do STF responde a tentativa de clivagem do Poder Judiciário por membros da força-tarefa do Caso Lava Jato, através de representação no CNMP.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, fez, nesta quarta-feira (13/03/2019) um desagravo à Justiça Eleitoral dos ataques recebidos e anunciou uma representação contra o procurador Diogo Castor, da força-tarefa da operação Lava Jato ao ter acusado, em artigo, manobra da corte ao transferir investigações de corrupção para a Justiça Eleitoral.

A manifestação de Toffoli foi feita antes de o relator do processo, ministro Marco Aurélio Mello, apresentar seu voto sobre o recurso que vai decidir se crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, em casos relacionados a caixa 2 de campanha, devem seguir para serem apurados e julgados pela Justiça Federal ou pela Justiça Eleitoral.

Toffoli disse atacar a Justiça Eleitoral é atacar todo Judiciário. Ele citou o fato de que o Tribunal Superior Eleitoral é presidido por um ministro do STF. Ele destacou que esse ramo é o mais eficiente e célere e que organiza uma das melhores eleições do mundo.

O presidente do Supremo anunciou também que pedirá apuração ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e à corregedoria do órgão para verificar se houve no episódio calúnia, injúria ou difamação pelo procurador da Lava Jato. Diogo Castor chegou a falar em golpe do Supremo com a mudança dessas investigações para a Justiça Eleitoral.

*Por Ricardo Brito, da Agência Reuters.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).