Governo do Estado da Bahia e movimentos sociais discutem pautas estratégicas para o desenvolvimento rural da Bahia

Representantes de movimentos sociais e da Secretaria de Desenvolvimento Rural estiveram reunidos para dialogar sobre as ações estratégicas que estão em curso, direcionadas à agricultura familiar.

Representantes de movimentos sociais e da Secretaria de Desenvolvimento Rural estiveram reunidos para dialogar sobre as ações estratégicas que estão em curso, direcionadas à agricultura familiar.

Representantes de movimentos sociais e da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) estiveram reunidos, nesta quinta-feira (14/03/2019), em Salvador, para dialogar sobre as ações estratégicas que estão em curso, direcionadas à agricultura familiar, e quais são os desafios para fomentar a produção rural baiana.

Perspectiva para o desenvolvimento rural nos próximos anos da gestão do Governo do Estado, segurança hídrica, assistência técnica e extensão rural (Ater), política estadual de agroecologia e demandas das Escolas Famílias Agrícolas (EFA´s) foram os principais assuntos que nortearam a reunião.

De acordo com secretário da SDR, Josias Gomes, o trabalho a ser realizado nos próximos quatro anos, sob a sua gestão, será de continuidade e aprimoramento das iniciativas que já estão em curso junto à agricultura familiar: “Vamos dar continuidade ao diálogo permanente com as redes e movimentos sociais. Esse diálogo facilita nos aproximar e entender melhor a agenda apresentada. Vamos continuar caminhando para solucionar essas demandas importantes, que contribuem para o desenvolvimento da agricultura familiar”

Para a representante do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), Célia Firmo, a reunião tem um marco importante porque reúne redes e articulações históricas no desenvolvimento rural da Bahia: “Foi nosso primeiro contato com o novo secretário e precisávamos retornar um conjunto de questões estratégicas como  a política estadual de Ater, projeto de lei de agroecologia e de convivência com o Semiárido e diversos assuntos que influenciam diretamente para a mulher, o homem e o jovem do campo. Firmamos compromisso de continuar com essa ação conjunta e articulada da sociedade civil com o Governo do Estado”.

O representante do Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), Leo Marcio, endossou que o movimento quer continuar com o diálogo e parceria com o Governo do Estado: “Queremos somar, fortalecer as ações conjuntas e cobrar também o que for necessário”.

Segundo o coordenador da Articulação do Semiárido (ASA), Neidson de Quintela Batista, a SDR, por ser uma secretaria voltada para a agricultura familiar, só vai desempenhar bem suas funções e seus objetivos se tiver em constante diálogo com os agricultores familiares, por meio de suas organizações: “Esse diálogo vai trazer para a SDR as questões, os dilemas, as necessidades, os problemas, as perspectivas e a esperanças que os agricultores têm em relação ao governo e em relação SDR”.

Estiveram presentes representantes de redes, fóruns e movimentos, que compõem a Articulação do Campo, e atuam junto aos povos rurais da Bahia, como a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA); Articulação Agroecologia da Bahia (AABA); Fórum Baiano da Agricultura Familiar (FBAF); Movimento dos Atingidos Por Barragens (MAB); Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA); e Rede das Escolas Famílias Agrícolas Integradas do Semiárido (REFAISA).

 Representantes de movimentos sociais e da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) estiveram reunidos, nesta quinta-feira (14), em Salvador, para dialogar sobre as ações estratégicas que estão em curso, direcionadas à agricultura familiar, e quais são os desafios para fomentar a produção rural baiana.

Perspectiva para o desenvolvimento rural nos próximos anos da gestão do Governo do Estado, segurança hídrica, assistência técnica e extensão rural (Ater), política estadual de agroecologia e demandas das Escolas Famílias Agrícolas (EFA´s) foram os principais assuntos que nortearam a reunião.

De acordo com secretário da SDR, Josias Gomes, o trabalho a ser realizado nos próximos quatro anos, sob a sua gestão, será de continuidade e aprimoramento das iniciativas que já estão em curso junto à agricultura familiar: “Vamos dar continuidade ao diálogo permanente com as redes e movimentos sociais. Esse diálogo facilita nos aproximar e entender melhor a agenda apresentada. Vamos continuar caminhando para solucionar essas demandas importantes, que contribuem para o desenvolvimento da agricultura familiar”

Para a representante do Fórum Baiano da Agricultura Familiar (FBAF), Célia Firmo, a reunião tem um marco importante porque reúne redes e articulações históricas no desenvolvimento rural da Bahia: “Foi nosso primeiro contato com o novo secretário e precisávamos retornar um conjunto de questões estratégicas como a política estadual de Ater, projeto de lei de agroecologia e de convivência com o Semiárido e diversos assuntos que influenciam diretamente para a mulher, o homem e o jovem do campo. Firmamos compromisso de continuar com essa ação conjunta e articulada da sociedade civil com o Governo do Estado”.

O representante do Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), Leo Marcio, endossou que o movimento quer continuar com o diálogo e parceria com o Governo do Estado: “Queremos somar, fortalecer as ações conjuntas e cobrar também o que for necessário”.

Segundo o coordenador da Articulação do Semiárido (ASA), Neidson de Quintela Batista, a SDR, por ser uma secretaria voltada para a agricultura familiar, só vai desempenhar bem suas funções e seus objetivos se tiver em constante diálogo com os agricultores familiares, por meio de suas organizações: “Esse diálogo vai trazer para a SDR as questões, os dilemas, as necessidades, os problemas, as perspectivas e a esperanças que os agricultores têm em relação ao governo e em relação SDR”.

Estiveram presentes representantes de redes, fóruns e movimentos, que compõem a Articulação do Campo, e atuam junto aos povos rurais da Bahia, como a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA); Articulação Agroecologia da Bahia (AABA); Fórum Baiano da Agricultura Familiar (FBAF); Movimento dos Atingidos Por Barragens (MAB); Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA); e Rede das Escolas Famílias Agrícolas Integradas do Semiárido (REFAISA).

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]