GNV tem novo reajuste e acumulado já passa dos 10% em 2019; Descontrole orçamentário do Governo Bolsonaro penaliza sociedade

Veículo é abastecido com Gás Natural Veicular (GNV).

Governo Bolsonaro penaliza sociedade com aumento dos preços controlados dos combustíveis.

O Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energia Alternativa e Lojas de Conveniência do Estado da Bahia (Sindicombustíveis Bahia) informa que a Bahiagás reajustou a tabela tarifária do Gás Natural Veicular (GNV) em 1,64% com vigência imediata. O último reajuste foi feito em 12 de janeiro no percentual de 8,51%. O total do aumento em 2019 é de R$ 10,29%.

O reajuste para revendedores foi autorizado pela Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transporte e Comunicações da Bahia (Agerba).

Para o presidente do sindicato, Walter Tannus Freitas, é importante que os consumidores, principalmente os taxistas e motoristas de aplicativos, estejam informados da origem dos aumentos de forma transparente.

O Sindicombustíveis Bahia salienta que as alterações no preço dos combustíveis são de responsabilidade de cada revendedor. O mercado é livre e competitivo, cabendo a cada empresário decidir o valor que irá cobrar. O sindicato não interfere no mercado e respeita a livre concorrência.

Aumento de preços controlados

A política recessiva do Governo Bolsonaro provoca redução da arrecadação e, como forma compensatória, são aumentados os preços controlados pelo Estado, o que provoca o empobrecimento da classe trabalhadora.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).