O que se viu em diferentes cenários de Brasília é incompatível com o regime democrático, diz Domingos Meirelles, presidente da ABI Nacional, sobre desrespeito à imprensa durante solenidade de posse de Jair Bolsonaro

Antípoda da democracia, presidente Jair Bolsonaro trata com desrespeito imprensa e é criticado pela ABI Nacional.

Antípoda da democracia, presidente Jair Bolsonaro trata com desrespeito imprensa e é criticado pela ABI Nacional.

Em nota encaminhada nesta quarta-feira (02/01/2019) ao Jornal Grande Bahia (JGB), o presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional), Domingos Meirelles, criticou severamente o Governo Bolsonaro pela forma descortês, antiética e antidemocrática com a qual os profissionais de imprensa e representantes de veículos de comunicação foram tratados em Brasília, no transcurso da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro (PSL/RJ) na presidência da República e de Hamilton Mourão, na vice-presidência, ocorrido na terça-feira (01).

“Não há registro de comportamento discricionário semelhante na história recente no País. O que se viu em diferentes cenários de Brasília é incompatível com o regime democrático. O respeito à imprensa é um dos principais indicadores das nações que se consideram civilizadas”, diz Domingo Meirelles.

Confira íntegra da nota

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) expressa profunda preocupação com o excesso de restrições impostas aos jornalistas credenciados para a cerimônia de posse do Presidente da República Jair Bolsonaro. Não há registro de comportamento discricionário semelhante na história recente no País. O que se viu em diferentes cenários de Brasília é incompatível com o regime democrático. O respeito à imprensa é um dos principais indicadores das nações que se consideram civilizadas.

A ABI espera que os exageros no trato com os jornalistas sejam creditados à inexperiência da nova criadagem do Palácio do Planalto e dos serviçais que assumiram a segurança periférica do Presidente.

Não é aceitável que repórteres e cinegrafistas sejam mantidos durante horas em determinados locais, como se estivessem em cárcere privado, impedidos de se locomoverem, e até de falar com o público.

Não se pode confinar a imprensa em alambrados como gado de corte.

Estamos convencidos de que as patuscadas que enodoaram a cerimônia de posse acabem se circunscrevendo a esses deploráveis episódios, e não voltem a se repetir.

A construção da democracia é um exercício diário que exige submissão aos mandamentos da Constituição além de extraordinária capacidade de doação e respeito pelo outro.

A partir de hoje, Jair Bolsonaro é o Presidente de todos os brasileiros, mesmo daqueles que não o honraram com o seu voto, nas eleições de outubro.

O Novo Mandatário também precisa ser alertado que a campanha eleitoral terminou.

Domingos Meirelles, presidente da ABI

Rio de Janeiro, 1º de janeiro de 2019.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).