Espetáculo ‘Que os outros sejam o Normal’ está cartaz no Teatro Sesi Rio Vermelho, em Salvador

Cena do espetáculo ‘Que os outros sejam o Normal’.

Cena do espetáculo ‘Que os outros sejam o Normal’.

Um homem e uma mulher em cena reivindicam o direito de serem monstros. Essa é a tônica inspiradora do espetáculo Que os outros sejam o normal, título da última encenação da ‘ATeliê voadOR’ Companhia de Teatro, dirigida por Djalma Thürler, em cartaz de 7 a 16 de novembro, sexta-feira a domingo, às 20 horas, no Teatro Sesi Rio Vermelho.

Em Que os outros sejam o Normal não há propriamente uma trama. Há um cenário com poucos objetos expostos e um grande espaço para a imaginação do espectador, avisa Thürler que, além da direção e da dramaturgia, assina também o cenário.

Com uma dramaturgia crítica do mundo contemporâneo, suas mazelas, sua desordem aparente, os limites entre sanidade e loucura, as dualidades de pontos de vista, sobre religião, política, gênero e sexualidade, Duda Woyda e Mariana Moreno se aventuram na construção de uma dramaturgia hibrida que desloca o público do lugar de conforto e o convida para a construção conjunta do espetáculo.

Em mais um trabalho que valoriza o ator, ‘Que os outros sejam o Normal’ é um pas de deux entre Duda Woyda e Mariana Moreno de uma precisão matemática, como se o público estivesse diante de um balé exaustivamente coreografado, um jogo entre o fictício e real, que coloca em crise as certezas, insufla a dúvida, tenta “desorganizar e desaprender o que se acha burocraticamente arrumado, historicamente ensinado”, descreve Thürler.

Que os outros sejam o Normal convida o espectador a enxergar o avesso das coisas, o “outro lado de todas as coisas”, o “outro do outro” através dos seus corpos-máquina-de-guerra, subjetividade plural e polifônica, potência de múltiplas éticas e múltiplas estéticas da existência.

Com a peça, a Companhia interrompe o ciclo de quatro monólogos que ainda continuam circulando pelo país. O último deles, ‘Uma mulher impossível’, foi indicado a quatro categorias no Prêmio Braskem de Teatro 2017 e consagrou Mariana Moreno como a melhor atriz daquele ano.

Ficha Técnica

Dramaturgia: Djalma Thürler

Textos: Antonio Hildebrando com citações de Susy Shock e Aníbal Quijano.

Direção e Cenografia: Djalma Thürler

Diretor assistente: Marcus Lobo

Elenco: Duda Woyda e Mariana Moreno

Direção de Movimentos: Duda Woyda e Felipe Silva

Figurino: Luis Santana

Iluminação: Marcus Lobo

Pesquisa e direção musical: Cassius Cardoso

Pesquisa e edição de imagens: Djalma Thürler e Marcus Lobo

Concepção e realização geral: ATeliê voadOR Companhia de Teatro

Agenda

O Quê: Espetáculo ‘Que os outros sejam o normal’

Quando: 7 a 16 de dezembro, às 20 horas

Onde: Teatro Sesi Rio Vermelho, em Salvador

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]