Vereador critica Governo do Estado por fechamento de escolas em Feira de Santana

Luiz Augusto (Lulinha): o Município não tem condição de arcar com todas as escolas.

Luiz Augusto (Lulinha): o Município não tem condição de arcar com todas as escolas.

Em pronunciamento, na sessão ordinária desta terça-feira (13/11/2018), na Câmara Municipal, o vereador Luiz Augusto de Jesus (Lulinha, DEM) voltou a criticar o fechamento de escolas geridas pelo Governo do Estado em Feira de Santana.

Lulinha rebateu o pronunciamento da vereadora Eremita Mota (PSDB), que sugeriu que os governos Municipal e Estadual deixem de “picuinha”. “Mas, a situação é grave. O Município não tem condição de arcar com todas as escolas. Tem muitos alunos que podem ficar sem estudar porque o Estado está jogando a responsabilidade dele para o Município. Este governo passou 12 anos no poder e não construiu nenhuma escola e agora está querendo fechar. Isso é porque o governador perdeu aqui em Feira de Santana e está querendo descontar. Perdeu porque não honrou os compromissos que fez. Feira merece um novo hospital geral, ele reconhece isso e prometeu em campanha, mas não cumpriu. Assim foi também com o Centro de Convenções. Apenas deu continuidade à Aryton Sena, por conta de muita pressão que recebeu”, pontuou Lulinha.

E continuou. “Agora estamos falando de educação. Estamos falando de crianças que precisam de educação. São escolas de tradição e grandes que serão fechadas. Os alunos estão se manifestando, pois estão preocupados com a possibilidade de ficar sem terem onde estudar. Será que o Município tem suporte para acolher estas crianças? O Estado chamou o Município para conversar e acordar essa mudança? O Ministério Público já está de olhos abertos para essa atitude. O Município tem construído e reformado várias creches e escolas em Feira de Santana, que estão bem equipadas e não há diferença para escolas particulares”, disse.

Para Lulinha, o Estado tem obrigação de ofertar educação, saúde segurança e educação. “Neste momento, há muitos pais e mães preocupadas sem saber onde seus filhos vão estudar. São escolas com mais de 400 alunos que irão fechar. E isso não é picuinha política não”, avaliou.

Em aparte, a edil Eremita Mota (PSDB) lembrou que os ensinos Fundamental I e II são de responsabilidade do Estado e Município e que o ensino infantil é do Município. “Foram construídas creches pelo Município e isso não podemos negar. Esse novo processo tem uma tendência negativa para o Município. O que eu disse é que precisa haver diálogo para resolver essa situação, que deveria sair do campo da picuinha política. Rui quase ganhou aqui em Feira e teve uma votação expressiva, mas não estou aqui para defender A, B ou C. Estou afirmando que falta diálogo, pois a população precisa desse cuidado”, findou.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]