+ Manchetes >

Técnicas do bonsai são aplicadas em árvores adultas no centro de Feira de Santana

A técnica do bonsai, tem o objetivo de ‘miniaturizar’ as árvores, como alternativa para controlar as volumosas copas de árvores, que podem trazer riscos em contato com a fiação elétrica.

A técnica do bonsai, tem o objetivo de ‘miniaturizar’ as árvores, como alternativa para controlar as volumosas copas de árvores, que podem trazer riscos em contato com a fiação elétrica.

Embelezamento associado a segurança. A técnica do bonsai, utilizada em árvores com o objetivo de ‘miniaturizá-la’, tem sido empregada como alternativa para controlar as volumosas copas de árvores, que podem trazer riscos em contato com a fiação elétrica, e evitar as constantes e necessárias podas de manutenção.

No município, os chamados bonsais gigantes – quando a técnica é aplicada a uma árvore adulta –  podem ser vistos no cruzamento entre as ruas Comandante Almiro e a Getúlio Vargas, onde cinco vegetais, sendo uma amendoeira e quatro árvores de espécies não identificadas foram transformados em bonsais. Os vegetais ainda vão ganhar uma espécie de canteiro, que dará a ideia de estarem plantados em um vaso.

A iniciativa foi apresentada pelo Centro Médico Empresarial, mas o secretário municipal do Meio Ambiente e Recursos Naturais, Arcênio Oliveira, alerta que a poda, corte e remoção de árvores tem que ter licença ambiental concedida pelo órgão municipal, conforme está previsto na lei municipal 041/2009.

Técnica pode ser aplicada em outros locais da cidade, diz secretário

Ele reconhece que os bonsais dão um visual diferente à cidade e acredita que outros municípios devem tomar como exemplo essa iniciativa. “Também podemos replicar a técnica dos bonsais gigantes em outros pontos da cidade, como nas avenidas Olímpio Vital e Maria Quitéria, nas imediações da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e no centro da cidade”, afirma o titular da SEMMAM considerando uma ideia a ser aplicada em árvores que já não dão folhagens ou cujas condições já estão precárias.

Redução de resíduos produzidos chega a 99%

Segundo o bonsaísta José Emanoel Cerqueira Assunção, as podas tradicionais, além de não resolver os problemas em áreas de fiação elétrica e trazer riscos de tombamento, resultam em grande quantidade de resíduos (galhos cortados e folhagens).

“Depois que as árvores estão desenhadas com a técnica dos bonsais, a redução de resíduos produzidos chega a 99%, além de considerarmos o embelezamento das cidades e o fim das agressões irregulares das podas”, defende.

José Emanoel informa que uma árvore adulta adquire o formato dos bonsais num período de quatro a cinco meses, sendo utilizada em média quatro podas. “Quando o formato já está pronto, ela só precisa ser podada, geralmente, a cada seis meses”, pontua.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]