Senador eleito Jaques Wagner vai priorizar reforma política e geração de emprego

O ex-governador e ex-ministro, Jaques Wagner (PT-BA), foi eleito senador pelo estado da Bahia com 35,71% dos votos (4,25 milhões de votos). Os suplentes são Adalberto Souza Galvão (PSB) e Luciana Leão Muniz (PR).

O ex-governador e ex-ministro, Jaques Wagner (PT-BA), foi eleito senador pelo estado da Bahia com 35,71% dos votos (4,25 milhões de votos). Os suplentes são Adalberto Souza Galvão (PSB) e Luciana Leão Muniz (PR).

A reforma política será a prioridade do petista Jaques Wagner, eleito para representar a Bahia no Senado a partir de 2019. Para ele, a mudança na legislação eleitoral “é a mãe de todas as reformas”.

— Precisamos fortalecer a democracia brasileira. O Brasil só tem menos partidos políticos do que o Haiti, que é uma sociedade conflagrada e com uma democracia muito incipiente. Essa superprodução de partidos é uma das causas de se ter um descontrole total no Congresso. Um partido deve corresponder a um projeto de Brasil, e eu não conheço 30 projetos de Brasil. Você pode ter três, quatro, cinco. Muitos partidos não representam um conjunto de ideias, mas os interesses dos seus parlamentares e filiados — afirma.

Outra linha de ação no mandato de Jaques Wagner será a geração de empregos. O senador eleito pretende atuar como titular da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

— O Brasil precisa reencontrar o caminho do desenvolvimento econômico com distribuição de renda, para que a gente possa devolver os empregos ao povo. Hoje, a questão de maior ansiedade entre as famílias brasileiras é o medo do desemprego. Essa questão da dignidade do ser humano se dá quando a pessoa de sente incluída do ponto de vista produtivo — argumenta.

Jaques Wagner nasceu no Rio de Janeiro em 1951, filho de imigrantes poloneses. Na década de 1970, cursou Engenharia no Rio de Janeiro, mas não chegou a concluir o curso por conta de sua atuação contra a ditadura militar. Construiu carreira política na Bahia, onde foi eleito para dois mandatos de deputado federal (1990 a 1998). Foi duas vezes governador da Bahia (2006 a 2014). Atuou ainda como ministro dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, nas pastas do Trabalho, Relações Institucionais, Defesa, Casa Civil e Gabinete Pessoal da Presidência da República.

O petista obteve 4.253.331 votos (35,71% do total) nas eleições do dia 7 de outubro. Os suplentes na chapa são Adalberto Souza Galvão (PSB) e Luciana Leão Muniz (PR).

*Com informações da Agência Senado.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]