Feira de Santana: Museu Casa do Sertão celebra 40 anos com atividades para todos os públicos

Estudantes participam de oficina no Museu Casa do Sertão.

Estudantes participam de oficina no Museu Casa do Sertão.

Dando prosseguimento às comemorações alusivas aos 40 anos de implantação, o Museu Casa do Sertão, localizado no Campus da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), oferece uma série de atividades para o público adulto e infantil. A iniciativa, dentre outros, visa fortalecer o interesse da população sobre importância histórica e cultural dos museus.

Até 15 de dezembro de 2018, os visitantes poderão interagir com as intervenções artísticas. Na área externa, no caminho até a chegada no Museu Casa do Sertão, o agitador cultural Luciano dos Anjos propõe, através do reaproveitamento de materiais, uma rica interface entre pintura e poesia em homenagem a personalidades Feira de Santana como Noratinho da Pamonha, além de temas e locais que compõem o imaginário da comunidade, como a caixa d’água do Tomba, mandacarus e pássaros. As obras são representadas em cores quentes e vibrantes, combinadas a versos e poesias autorais para referendar memórias que não se apagam.

Exposições

Nas salas dedicadas a atividades de curta duração são apresentadas discussões estéticas a partir de trabalhos de servidores que também realizam oficinas didáticas. Na exposição ‘Gemicrê Nascimento – Mostra caminhos no tempo’, o artista apresenta um olhar sobre sua trajetória criativa. Professor do Departamento de Letras e Artes da Uefs, mestre em Desenho, Cultura e Interatividade e especialista em Metodologia do Ensino do Desenho, Gemicrê realiza oficinas e workshop no território nacional resgatando técnicas ancestrais, a partir do uso do solo, comuns na pintura dos desenhos rupestres, obtendo na natureza seus principais pigmentos.

Já a mostra ‘A Casa do Passarinho e Outros Desenhos’, da servidora Paula Gesteira, resulta de pesquisas autorais sobre a concepção da imagem a partir de uma apropriação de cosmos lúdicos para enfocar o feminino. Conforme a artista trata-se de universo que para muitos é caracteristicamente hermético, mas que, no seu olhar apurado, eclode em energia e vivacidade, brindando o observador com as inusitadas soluções para um arranjo espacial cromático de personalidade.

A programação conta com apoio do Núcleo de Estudos para as Relações Étnico-Raciais e Educação Quilombola, da Secretaria Municipal de Educação. O Núcleo apresenta bonecas Abayomi, termo que no idioma Iorubá significa ‘encontro precioso’, conhecidas historicamente como um símbolo de resistência. Nos navios negreiros a construção se dava a partir do retalho da saia das mães. Depois de criadas, as bonecas, feitas de tranças e nós, serviam como amuleto de proteção.

Mais informações sobre o Museu Casa do Sertão disponíveis no link: http://www.uefs.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=119.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]