+ Manchetes >

ALBA: Bloco da Oposição cobra esclarecimento sobre fechamento de escolas estaduais na Bahia; Governo fecha unidade de ensino com mais de cem anos no município de Wagner

Luciano Ribeiro: é preciso que o Governo esclareça o fechamento dessa instituição estadual de Wagner e de outras unidades, fato que vem acontecendo em todo o estado.

Luciano Ribeiro: é preciso que o Governo esclareça o fechamento dessa instituição estadual de Wagner e de outras unidades, fato que vem acontecendo em todo o estado.

Com resultados de queda no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para o ensino médio, a Bahia tem sofrido com o encolhimento no setor de educação, na gestão do governador Rui Costa (PT). Um dos fatores que comprovam essa avaliação feita pela Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia é o registro frequente do fechamento de escolas estaduais de tradição, nos municípios baianos, nos últimos anos. Hoje, a Bancada recebeu a denúncia de que o Governo anunciou o fechamento de uma unidade escolar de ensino médio que existe há 112 anos, no município de Wagner, na Chapada Diamantina.

Segundo profissionais de educação e moradores da cidade, o Governo, através da Secretaria Estadual de Educação enviou um ofício para o Instituto Ponte Nova (IPN), informando que a instituição de ensino será desativada. A decisão surpreendeu e gerou sentimento de indignação nos professores e alunos, pois o Governo não promoveu nenhum tipo de  audiência ou discussão sobre o assunto.

“Com 112 anos de história, o colégio é um patrimônio da cidade,  além de ser fonte de renda para 43 profissionais contratados e concursados, atendendo a 600 alunos da cidade e zona rural. É um absurdo que o Governo promova um tipo de situação como essa sem consultar a comunidade. É preciso que o Governo esclareça o fechamento dessa instituição estadual de Wagner e de outras unidades, fato que vem acontecendo em todo o estado”, cobra o líder da Bancada, deputado Luciano Ribeiro (DEM).

Recentemente o Governo desativou colégios estaduais em Feira de Santana, onde quatro serão municipalizadas.

O líder da Bancada lembra que dados contidos nos relatórios de execução financeira do estado apontam para a baixa aplicação de recursos no setor de educação, durante o governo Rui Costa. Nos últimos três anos, o investimento em Educação pelo Governo baiano representou apenas 2,02%, sendo que em 2017, ano da avaliação do Ideb, o investido no setor foi de apenas 1,88% do total aplicado no estado.

A Bahia tem o pior Ensino Médio do Brasil, de acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017, divulgado em setembro deste ano. O estado obteve Ideb 3,0, o que significa um decréscimo em relação ao último índice, de 2015, quando a Bahia registrou Ideb de 3,1.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).