+ Manchetes >

Estudo alerta para o número de mortes por doenças do coração no Vale do São Francisco

Estudo feito com a participação de médicos do Cardiovasf revela que a cada 100 pessoas internadas por infarto agudo 7,7 delas vêm a óbito em 30 dias.

Estudo feito com a participação de médicos do Cardiovasf revela que a cada 100 pessoas internadas por infarto agudo 7,7 delas vêm a óbito em 30 dias.

Um estudo feito com a participação de médicos do Instituto do Coração do Vale do São Francisco – Cardiovasf, revelou que de cada 100 pessoas internadas por infarto agudo, 7,7 delas vêm a óbito em 30 dias. Segundo os pesquisadores, os números preocupam, uma vez que comparado a outros centros de excelência em cardiologia espalhados pelo Brasil, esses índices caem para 2%.

“Acreditamos que vários fatores corroboram para isso, desde a indisponibilidade do serviço de hemodinâmica 24h no SUS [realização de cateterismo de emergência], indisponibilidade de trombolíticos [medicação para desobstruir as artérias coronárias do coração], demora no transporte até centro especializado ou mesmo pela falta de treinamento de médicos nas emergências”, analisa o cardiologista, Samuel Ferro.

O especialista faz parte da equipe do instituto Cardiovasf que colabora com o estudo intitulado RIMA (Registro de Infarto do Miocárdio Agudo), o qual traz ainda outros dados surpreendentes. De acordo com o documento, disponibilizado para as autoridades locais afim de auxiliar na montagem de políticas públicas de excelência, 66% dos pacientes que sobreviveram ao ataque, passaram a sofrer de insuficiência cardíaca.

No levantamento, também foi possível observar uma drástica diminuição da qualidade de vida das pessoas acometidas pela doença. “A insuficiência cardíaca é um grande limitador dos aspectos profissional e pessoal do paciente, que muitas vezes terminam numa aposentadoria precoce e até mesmo num quadro de depressão”, comenta o médico. Somam-se a essas sequelas, o cansaço, a falta de ar, inchaço nas pernas, aumento do volume abdominal e a intolerância aos esforços físicos.

O tratamento

Com mais predisposição para essa patologia, o principal conselho para as pessoas que sofrem de hipertensão, diabetes, vício em cigarro e colesterol alto é a prevenção. Acompanhamento médico, mudanças na alimentação e no estilo de vida são apontados pelo Cardiovasf como medidas efetivas. Além disso, o instituo afirma que, avaliação de riscos de enfartes, consultas continuadas, medicações adequadas e exames clínicos detalhados, como teste ergométrico, ecocardiograma, eletrocardiograma, holter e mapa, têm potencial para alcançar melhoras significativas no quadro de saúde do paciente.

Cardiovasf

No Vale do São Francisco, o instituto do coração atende em Juazeiro e Petrolina (PE). Do lado baiano, sua unidade está localizada na Rua do Paraíso, nº 230, no Instituto Valler (Bairro Santo Antônio). Já na cidade pernambucana, o Cardiovasf fica na Rua Pacífico da Luz, nº 850, no centro do município.

Mais informações podem ser obtidas através dos e-mails: [email protected] e [email protected]

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]