Biotipo de assassino de Franco Marielle é identificado, diz MPRJ

Marielle Francisco da Silva (Marielle Franco) é mulher, negra, mãe e cria da favela da Maré, socióloga com mestrado em Administração Pública, foi eleita vereadora do Município do Rio de Janeiro pelo PSOL, com 46.502 votos, foi, também, presidente da Comissão da Mulher da Câmara Municipal. No dia 14 março de 2018 foi assassinada em um atentado ao carro onde estava. 13 Tiros atingiram o veículo, matando, também, o motorista Anderson Pedro Gomes.

Marielle Francisco da Silva (Marielle Franco) é mulher, negra, mãe e cria da favela da Maré, socióloga com mestrado em Administração Pública, foi eleita vereadora do Município do Rio de Janeiro pelo PSOL, com 46.502 votos, foi, também, presidente da Comissão da Mulher da Câmara Municipal. No dia 14 março de 2018 foi assassinada em um atentado ao carro onde estava. 13 Tiros atingiram o veículo, matando, também, o motorista Anderson Pedro Gomes.

A apenas três dias para o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes completar sete meses, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) divulgou uma nota informando que foi identificado o biotipo da pessoa que disparou contra os dois. Os investigadores também identificaram novos locais pelos quais o carro utilizado durante o crime circulou.

O rumo das investigações foi comunicado à família de Marielle e à viúva de Anderson na última terça-feira (11/10/2018), informou o MP.

De acordo com o MPRJ, foram utilizados softwares de alta tecnologia para reconhecer o perfil biométrico do atirador. Já a identificação de novos lugares que o carro passou foi possível por meio da análise de centenas de imagem. Para o Ministério Público, o mapeamento representa “um grande avanço” para o seguimento das investigações.

O trabalho foi uma parceria entre os promotores do MPRJ e da Divisão de Evidência Digitais e Tecnologia da Coordenadoria de Segurança e Inteligência.

Orlando Curicica

O Ministério Público informou ainda que ex-PM Orlando Curicica, miliciano suspeito de envolvimento na morte de Marielle e Anderson, foi ouvido pelos promotores responsáveis pelo caso. O encontro foi no Presídio Federal de Mossoró, onde Orlando está preso, acusado de mandar matar uma pessoa em 2015.

O depoimento que Orlando deu aos procuradores da República em momento anterior também foi encaminhado ao MPRJ. O conteúdo dos depoimentos, no entanto, é mantido em sigilo para não atrapalhar as investigações.

*Com informações da Agência Brasil.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]