Socialismo é atual | Por João Baptista Herkenhoff

Desenho retrata Francisco Cavalcânti Mangabeira.

Francisco Cavalcânti Mangabeira (Salvador, 1879 — 1904) foi um médico e poeta brasileiro. Era irmão dos políticos João Mangabeira e Otávio Mangabeira, e tio do político Francisco Mangabeira e tio avô do político Roberto Mangabeira Unger.

Com o pacto celebrado entre as grandes potências, pretende-se que certos temas tenham desaparecido da preocupação dos mortais.

Dentre estes estaria o Socialismo.

Já não teria razão de ser um projeto socialista de mundo.

Já teríamos chegado ao fim da História. Nenhuma forma de organização da sociedade existiria para contrastar com a que o Capitalismo impõe.

Este artigo rema contra a maré e defende a tese da absoluta oportunidade de levantar, no alvorecer de 2017, um brinde ao Socialismo.

O Socialismo é atual, como projeto alternativo de mundo.

Um mundo que se funda  na solidariedade e na cooperação, em oposição ao mundo do Capitalismo, que cultua o individualismo e a competição.

Na linha de proposital afastamento de figuras do presente, quero relembrar duas personalidades do passado, dois vultos da história brasileira: João Mangabeira e Francisco Mangabeira.

Ambos souberam fundir, no amálgama da vida, a militância política e a militância pedagógica.

Sem deixar de apresentar, no primeiro plano de seus perfis, a condição de homens públicos, tiveram sempre a preocupação de ensinar, de transmitir lições.

Llições práticas (exemplo, coerência, luta constante) e lições teóricas (todo um arcabouço de ideias, pregadas diuturnamente, com humildade).

João Mangabeira e Francisco Mangabeira foram educadores políticos, foram éticos.

Francisco Mangabeira teve do ser humano uma concepção integral e transcendente.

Na linha dos grandes humanistas contemporâneos, viu que só poderia florescer a plena humanidade da pessoa nas sociedades que privilegiassem o coletivo.

Francisco não se filiou ao Partido Socialista Brasileiro, do qual João Mangabeira, seu pai, foi um dos fundadores.

João foi candidato à presidência da República, sem a mínima possibilidade de ser eleito, mas com a pretensão de utilizar a candidatura para pregar o Socialismo.

Francisco esposou as grandes teses do Socialismo democrático.

Foi um dos líderes da campanha “o petróleo é nosso”, que veio a garantir o monopólio estatal do petróleo através da criação da Petrobrás.

Em razão de suas posições políticas, Francisco foi perseguido pelas duas ditaduras do Brasil contemporâneo: a de 1930 e a de 1964.

Ele participou de todos os grandes movimentos do Cristianismo Social.

Teve presença ativa na Ação Católica. Foi amigo de Dom Távora e de Tristão de Athayde.

O ideário de João Mangabeira e Francisco Mangabeira permanece vivo.

* João Baptista Herkenhoff é Juiz de Direito aposentado (ES) e escritor. E-mail: [email protected] (Site: www.palestrantededireito.com.br).

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

João Baptista Herkenhoff
João Baptista Herkenhoff possui graduação em Direito pela Faculdade de Direito do Espírito Santo (1958) , mestrado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975) , pós-doutorado pela University of Wisconsin - Madison (1984) e pós-doutorado pela Universidade de Rouen (1992) . Atualmente é PROFESSOR ADJUNTO IV APOSENTADO da Universidade Federal do Espírito Santo.Contato:Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas, Departamento de Direito. Avenida Fernando Ferrari, 514 | Goibeiras 29075-910 - Vitoria, ES - Brasil | Home-page: www.jbherkenhoff.com.br |E:mail: [email protected] | Telefone: (27)3335-2604