+ Manchetes >

Brasil: O País dos golpes! | Por Alberto Peixoto

Presidente Dilma Rousseff porta faixa presidencial concedida pelo povo e usurpada por Michel Temer.

Presidente Dilma Rousseff porta faixa presidencial concedida pelo povo e usurpada por Michel Temer.

Segundo alguns analistas políticos, há grandes possibilidades de Haddad vencer as eleições e não tomar posse, porque um novo golpe voltará a implantar a ditadura militar no país, apoiado pela direita fascista composta pelos “coxinhas” e a Rede Globo, que – conforme podemos ler em detalhes no Livro “O Quarto Poder” de Paulo Henrique Amorim – nasceu de uma ilegalidade.

Para os analistas políticos, é fundamental que o povo vá para as ruas, já, lutar pela democracia. Após as eleições pode ser muito tarde. Foi noticiado no site Brasil247, que este golpe já está em marcha, com roteiro estabelecido pelo general Villas Bôas, que já admite a derrota da Direita nas urnas.

O golpe de 1964 destruiu famílias, desapareceram pessoas, a tortura reinava nos quarteis e até a MPB foi censurada severamente. As letras das músicas antes de serem gravadas, tinham que ser aprovadas conforme o entendimento dos censores da ditadura, criados pelo Ato Institucional Nº 5 (AI 5). Gilberto Gil e Caetano Veloso foram presos e exilados (1969) quatorze dias após a criação do AI 5, porque as letras de suas músicas – juntamente com as de Chico Buarque – procuravam abrir os olhos das pessoas quanto ao que estava acontecendo no país.

Se um golpe de Estado é definido como aniquilação da ordem institucional, podemos afirmar que desde 7 de setembro de 1822 até os dias de hoje no Brasil ocorreram 10 golpes. 1º “A Noite da Agonia”: dissolução da assembleia Constituinte em 1823; 2º “O Golpe da Maioridade”: Período Regencial; 3º “Proclamação da República”: 15 de novembro de 1889; 4º “Golpe de 3 de novembro de 1891”: Com a finalidade da criação da Constituição Brasileira; 5º “O Curioso caso de Floriano Peixoto”: Primeira Revolta da Armada; 6º “Revolução de 1930” : um Golpe de caráter Civil-Militar (Era Vargas); 7º “Estado Novo” (1937): Intentona Comunista; 8º “Deposição de Getúlio Vargas em 1945”; 9º “31 de março a 1º de abril de 1964”: Golpe de 1964; 10º “Golpe de 2016”: Impeachment de Dilma Rousseff.

Quanto a Rede Globo, que sempre foi um veículo de desinformação dos brasileiros e sempre subserviente a quem bem lhe conviesse, o Livro o Quarto Poder (PHA) conta como o governo ditador de Artur da Costa e Silva (1967-1969), comprou a aparelhagem no exterior para os Marinhos modernizarem a emissora que era o carro chefe da ditadura.

Portanto, é preciso que a esquerda brasileira se una e fique atenta para as atitudes deste candidato fascista, que do hospital admitiu sua derrota em um vídeo veiculado no último domingo (16). O moribundo esgoelou-se pelo golpe após as eleições.

Alberto Peixoto – Escritor

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.