Vereador critica empresários do transporte coletivo urbano de Feira de Santana

Roberto Tourinho: temos uma das tarifas mais caras do Norte e Nordeste e além disso temos o péssimo serviço oferecido por elas.

Roberto Tourinho: temos uma das tarifas mais caras do Norte e Nordeste e além disso temos o péssimo serviço oferecido por elas.

No uso da tribuna, na sessão ordinária desta segunda-feira (20/08/2018), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Roberto Tourinho (PV) criticou a atuação das empresas de transporte público coletivo no município e argumentou que a Prefeitura não deve atender ao oficio de reembolso solicitado por elas.

“Antes de iniciar, quero agradecer à atenção e às palavras usadas pelo vereador Zé Curuca, quando se refere a mim. Estive com ele nos festejos da comunidade de São Roque”, agradeceu.

Tratando sobre a atuação das empresas no transporte público coletivo, Tourinho fez uma retrospectiva da história delas em Feira. “Temos uma das tarifas mais caras do Norte e Nordeste e além disso temos o péssimo serviço oferecido por elas. Os empresários não têm compromisso: participam de licitação com intuito de lucrar e quando chegam na cidade, se lucrarem permanecem, se não, fazem como a Princesinha e 18 de Setembro, que tiraram os ônibus e foram embora”, relatou Tourinho.

O edil relembrou quando as empresas Rosa e São João chegaram à Feira de Santana. “Fizeram desfiles, anunciaram frota nova, circularam nas ruas centrais da cidade, pararam em frente à Prefeitura e todos ficaram maravilhados com os novos veículos. Depois de um tempo, estes carros novos foram retirados e levados para outras cidades e então começaram a surgir as ações judiciais e o Banco Mercedes-Benz a requerer os valores não pagos. Neste tempo, as empresas pegaram os ônibus e lavaram para fazendas, onde ficaram guardados e outros foram vistos pegando a pista sentido São Paulo e Rio de Janeiro, onde este empresários têm empresas de transporte”, disse.

E continuou. “Pouco tempo depois, a empresa São João requer recuperação judicial com valor de R$ 8 milhões. Está no edital do processo de licitação que eles venceram, que devem implantar dez ônibus adaptados para atuarem no BRT. Veículos adaptados não são veículos articulados. Mas, agora estão afirmando que virão a possibilidade de colocar estes carros para circular”, pontuou.

Tourinho também lembrou que as empresas estão alegando desequilíbrio financeiro, pois houve redução de transporte de passageiros. “Deram entrada em um ofício no gabinete do ex-prefeito José Ronaldo e querem o reembolso desse prejuízo que estão alegando. Querem que a Prefeitura pague a diferença, pois na licitação estava previsto o transporte de dois milhões e quatrocentos passageiros, mas afirmam que transportam apenas um milhão e novecentos. Porém, ninguém sabe dizer qual é o valor desse prejuízo e com isso a Prefeitura abriu um processo licitatório para calcular este montante. O que não podemos permitir é que a Prefeitura pague este valor”, afirmou.

Ainda segundo Tourinho, será com o valor do reembolso que as empresas comprarão os veículos adaptados. “As empresas vão dizer que devem receber o valor X, a Prefeitura vai pagar e com esse dinheiro elas vão comprar os veículos adaptados. Isso é roubo, é molequeira. Na época de Tarcízio queriam fazer o mesmo, mas eu alertei e quando Ronaldo assumiu não permitiu o acordo de pagamento feito pela Procuradoria no valor de R$ 40 milhões. Ronaldo retirou o processo da Vara da Fazenda Pública, pois não aceitou e a Princesinha e 18 de Setembro foram embora de Feira. Agora, estas empresas que aí estão querem fazer a mesma coisa. Não podemos permitir que isso aconteça”, pediu.

Tourinho argumentou a possível redução do número de passageiros em Feira. “Temos hoje mais de R$ 13 milhões de desempregados. Desempregado usa menos o transporte público coletivo.  Vou continuar denunciando isso aqui. O povo de Feira de Santana não pode aceitar e Colbert não deve permitir que isso aconteça em nossa cidade”, findou.

Antônio Carlos defende Governo Municipal das críticas de Roberto Tourinho

Em pronunciamento, na sessão ordinária desta segunda-feira (20), na Câmara Municipal, o edil Antônio Carlos Passos Ataíde (Carlito do Peixe, DEM) defendeu o Governo Municipal das críticas do vereador Roberto Tourinho (PV), em relação ao pedido de reembolso de possíveis prejuízos das empresas do transporte público coletivo pela Prefeitura.

“Na última sexta-feira, em audiência pública, todos os pontos e dúvidas foram levados aos empresários, que alegaram obstáculos com o BRT. Ouvi na imprensa que as obras estão sendo realizadas com desvio de função de recursos públicos. Onde há isso? As obras estão em andamento e onde estão os erros? Elas ficaram paradas por conta de ações judiciais, mas já foram retomadas”, disse Carlito.

Segundo Carlito, mesmo com os questionamentos dos empresários, em nenhum momento o Executivo afirmou que pagaria o valor pedido em ofício. “Ronaldo não assumiu que teria que pagar este valor e nem Colbert. O discurso do colega é muito bonito e não estou aqui defendendo empresários e sim o Município. Tínhamos uma frota nova e uma previsão de passageiros e lucro, se a meta não está sendo atendida, haverá uma revisão da questão. Mas, quero deixar claro que o prefeito Colbert não está anunciando que pagará o valor pedido pelos empresários. Haverá uma apresentação de valores e muito diálogo. Caso precise a Justiça está ai para resolver”, findou.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]