MPF denuncia Paulo Preto e mais 32 por cartel em obras de São Paulo; cerco cerco jurídico/policial aos governos do PSDB é ampliado

A força-tarefa da operação Lava Jato em São Paulo denunciou o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza (Paulo Preto), e outras 32 pessoas por formação de cartel em conluio com construtoras.

A força-tarefa da operação Lava Jato em São Paulo denunciou o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza (Paulo Preto), e outras 32 pessoas por formação de cartel em conluio com construtoras.

A força-tarefa da operação Lava Jato em São Paulo denunciou nesta sexta-feira (04/08/2018) o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, e outras 32 pessoas de terem formado um cartel com várias construtoras, com o aval de agentes públicos, para eliminar concorrência em obras do trecho sul do Rodoanel e em sete grandes obras do Programa de Desenvolvimento do Sistema Viário Metropolitano do Estado.

Apontado em investigações como suposto operador do PSDB, Paulo Preto chegou a ser preso este ano em uma das fases da Lava Jato, mas foi solto posteriormente por ordem judicial do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes.

O cartel havia sido revelado por oito executivos da Odebrecht, uma das integrantes do esquema, por meio de acordos de leniência firmados com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em 2017, tornando-se um dos principais elementos que embasaram a acusação do MPF.

Segundo a denúncia, o esquema se estruturou em seis fases distintas e começou a ser organizado em 2004 com a cessão de material sigiloso da Dersa à Andrade Gutierrez, seguida de uma reunião entre as “cinco líderes” (Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, OAS, Odebrecht e Queiroz Galvão) no antigo canteiro de obras da Camargo Corrêa onde hoje se encontra o Parque do Povo, na capital paulista.

A peça narra, com base em depoimento de um colaborador premiado, que Paulo Vieira deixou claro que, se as empresas “não tivessem boa vontade na renegociação dos contratos, ele não teria boa vontade com as empresas no novo pacote de obras”. Foi assim que foi fechado o acordo para a redução dos valores dos lotes no edital de concessão do trecho sul do Rodoanel, segundo o MPF.

Observa-se que as ações do MPF e da Polícia Federal (PF) ampliam o cerco jurídico/policial aos governos liderados pelo PSDB.

*Com informações da Agência Reuters.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]a.com.br.