Eleições 2018: PSDB confirma Geraldo Alckmin como candidato à presidente da República; senadora Ana Amélia é vice na chapa

Convenção Nacional do PSDB homologa candidatura de Geraldo Alckmin como candidato à presidência da República.

Convenção Nacional do PSDB homologa candidatura de Geraldo Alckmin como candidato à presidência da República.

Em convenção nacional, o PSDB confirmou hoje (04/08/2018) a candidatura do presidente do partido e ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, à Presidência da República nas eleições de outubro.

Dos 290 votantes, 288 aprovaram a candidatura de Alckmin. Houve um voto contra e uma abstenção. A senadora Ana Amélia (PP-RS) é a vice na chapa.

No primeiro discurso como candidato, Alckmin disse que quer ser presidente para unir o país. “A situação é séria. Treze milhões de desempregados e corrupção endêmica debilitaram a crença do povo na política e na democracia. Não há tempo a perder”.

“Sou candidato para buscar um mandato que pode ser resumido em uma frase: vamos mudar o Brasil e devolver aos brasileiros a dignidade que lhes foi roubada”, acrescentou. Também defendeu a reforma política, a diminuição do tamanho do Estado e a simplificação tributária para destravar a economia e promover a retomada do crescimento.

O tucano destacou que aceita ser o candidato dos partidos que acreditam no caminho do desenvolvimento e “não na rota da perdição do radicalismo”.

“Que acreditam na união que constrói e amplia e não na divisão que paralisa e diminui. O momento é grave mas um futuro de prosperidade está aberto a todos os brasileiros’”, afirmou.

Em seu primeiro mandato, a senadora Ana Amélia, 73 anos, escolhida como vice, disse que esse é o maior desafio de sua carreira e defenderá a participação das mulheres na política e a questão de gênero.

“Vocês têm uma responsabilidade histórica, a de resgatar o Brasil”, diz FHC em convenção do PSDB

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ressaltou neste sábado (4), na Convenção Nacional do PSDB, em Brasília, a importância histórica do momento por que passa hoje o Brasil. Dirigindo-se ao candidato à Presidência Geraldo Alckmin e à sua candidata a vice, Ana Amélia, afirmou: “O vento da história passa hoje por vocês. Vocês têm uma responsabilidade histórica, a de resgatar o Brasil. De resgatar a crença em nós mesmos”.

FHC falou da necessidade de resgatar nos brasileiros a confiança na classe política. “Aliança é fundamental para a governabilidade, e antecipa a vitória. Juntos, venceremos”, disse. O ex-presidente também lembrou da importância de se governar o país com coragem. “O Brasil confia em vocês. Os dois despertam a confiança do Brasil em si mesmo. Eu confio em vocês. Confio mesmo, porque conheço os dois”, disse. “As pessoas hoje têm medo, medo porque não sabem se terão emprego amanhã. Vocês restabelecerão a confiança. E com autoridade, não autoritarismo”, prosseguiu FHC.

A convenção marcou a oficialização de Geraldo Alckmin como candidato do PSDB à Presidência da República. Quatro vezes governador de São Paulo, Alckmin terá a senadora gaúcha Ana Amélia como candidata a vice em sua chapa. Ela foi eleita para o cargo em 2010 pelo Partido Progressista (PP) com mais de três milhões de votos.

Apoio de partidos e lideranças

A campanha tucana terá o apoio do DEM, PP, PRB, PR e Solidariedade, que compõem o chamado Centrão, e do PTB, PPS e PSD.

Os presidentes nacionais do DEM, ACM Neto, e do PPS, Roberto Freire, além do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, pelo PSD, estiveram presentes na convenção.

Também participaram representantes do PRB e do PP. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também participou da convenção.

O senador Aécio Neves, do PSDB de Minas, não compareceu à convenção.

Perfil

Quatro vezes governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, de 65 anos, é um dos fundadores do PSDB. Formado em medicina pela Universidade de Taubaté, começou sua carreira política em 1972, em Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba, onde foi eleito vereador, presidente da Câmara dos Vereadores e prefeito da cidade.

Em 1982, foi eleito deputado estadual. Participou da Assembleia Nacional Constituinte de 1986, antes de chegar ao governo de São Paulo em 2001, como vice do governador Mário Covas.

Com a morte de Covas, Alckmin assumiu definitivamente o cargo de governador, para o qual foi eleito em 2002 e que voltou a ocupar por mais dois mandatos, após vitória nas eleições de 2010 e 2014.

Em 2006, o tucano concorreu à Presidência da República, mas foi derrotado no segundo turno pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi reeleito. Alckmin assumiu a presidência nacional do PSDB em dezembro do ano passado.

*Com informações da Agência Brasil.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]