Eleições 2018: Precisamos retomar a iniciativa de investir no país, diz Fernando Haddad durante ato de campanha na Bahia

Jaques Wagner, Fernando Haddad e Rui Costa durante ato de campanha eleitoral em Salvador.

Jaques Wagner, Fernando Haddad e Rui Costa durante ato de campanha eleitoral em Salvador.

Em visita ao estado da Bahia, Fernando Haddad, candidato a vice-presidente de Luiz Inácio Lula da Silva, concedeu entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (21/08/2018), em Salvador. Em sua fala, enfatizou que sua visita aos estados do nordeste tem como objetivo mostrar ao país o plano Lula de governo, que resgata a soberania nacional e popular, fazendo essa mensagem chegar a todos os cantos.

Também participaram da coletiva Rui Costa, governador da Bahia e candidato à reeleição, e o ex-governador Jaques Wagner, que concorre a uma vaga no Senado pelo estado.

Haddad reafirmou a importância da decisão de caráter obrigatório do Comitê dos Direitos Humanos da ONU, determinando que Lula tenha garantido o direito de ser candidato, e disse que aguarda a decisão do TSE. O governador Rui Costa indagou, em sua fala, se o Brasil está disposto a se tornar o tipo de país que rejeita resoluções da ONU.

Questionado sobre o resultado das pesquisas divulgadas nesta segunda-feira (20), Haddad afirmou que Lula cresceu nas pesquisas porque tem a preferência do eleitorado e porque tem o melhor plano de governo para o país. Para ele, a situação também não é diferente na Bahia, onde as pesquisas indicam a vitória de Rui Costa. Aliás, sobre os bons governos estaduais do PT na Bahia com Jacques Wagner e Rui Costa, Haddad ressaltou que eles inspiram parte do plano de governo Lula, como é o exemplo do programa de Policlínicas regionais implantado no estado e que, ainda segundo Haddad, deverá ser levado para todo o país.

Haddad lembrou as palavras de Lula, que disse: “não adianta me prender, porque eu sou uma ideia, eu sou um projeto, eu posso ser a pessoa mais conhecida no meu país que representa esse projeto, mas não estou sozinho. São milhões que abraçaram e que vão estar caminhando o país, enquanto restringem a minha liberdade. Podem me aprisionar, mas não vão aprisionar o que eu represento”.

O ex-ministro da educação do governo Lula relembrou as importantes conquistas da era Lula na região Nordeste: “nós sempre estávamos aqui, entregando avanços para a população: universidades, escolas técnicas, creche, cisternas, hospitais”.

O candidato a vice-presidente de Lula disse também que a caminhada pela Bahia e pelos demais estados do nordeste é para apresentar um projeto que resgata tudo aquilo que foi feito e retoma o que foi parado. Ele apontou a importância do debate para o resgate da ferrovia que conecta o Oceano Pacífico ao Atlântico, por exemplo. “Precisamos retomar a iniciativa de investir, acabar com o teto de gastos para voltar a ter investimento público no país, porque do jeito que está, vamos zerar os investimentos federais no país. Não vai ter recurso para nada e aí, não se gera emprego, não se retoma a economia e não se resolve o déficit público”, enfatizou Haddad, apontando a retomada do investimento público na geração de empregos e no acesso ao crédito como crucial para resolver a crise.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).