Espetáculo de dança Nunca por Acaso é apresentado em Salvador

Apresentação do espetáculo 'Nunca Por Acaso'.

Apresentação do espetáculo ‘Nunca Por Acaso’.

Nunca por Acaso é o espetáculo de dança com direção coreográfica de Giovanni Luquini, que estará em cartaz em Salvador nos dias 21, 25, 26, 27 e 28 de julho de 2018, no Teatro Sesc Senac Pelourinho, e em agosto, de 4 a 26, sempre aos sábados e domingos, no Teatro Gregório de Mattos.

Nunca por Acaso também produzirá a Exposição Fotográfico Audiovisual, montada nos foyers dos teatros Sesc Senac Pelourinho e Gregório de Mattos, sobre o processo criativo do espetáculo. Com fotos, vídeo e música, a curadoria foi realizada por Marina Alfaya, fotógrafa, Giovanni Luquini, coreógrafo, Luciano Martins, produtor e Yuri Rosat, cinegrafista.

Além dos espetáculos e da exposição, o projeto Nunca por Acaso irá realizar o workshop ‘A Capoeira de Angola Aplicada as Artes Cênicas’, nos dias 27 e 28 de julho, das 14 às 17 horas, no Sesc Senac Pelourinho, com entrada franca, mediante inscrição, até preenchimento das vagas. A inscrição do workshop, que tem como público alvo profissionais da área de artes cênicas e dança, será feita através do e-mail: [email protected], contendo o assunto ‘inscrição workshop’.

Sobre o espetáculo

Em Nunca por Acaso Giovanni Luquini dirige as dançarinas Alana Falcão, Joely Silva e Melissa Figueiredo e o dançarino Marcley Oliveira. O processo criativo teve como pilar a ideia do tempo agindo sobre nossas escolhas, mas também a celebração do encontro, o amor e a simplicidade. “Nunca Por Acaso traça um paralelo entre a memória e as escolhas que fazemos ao longo da nossa jornada. O palco se desvela num tabuleiro onde os dançarinos intérpretes estabelecem as regras para seus jogos, relacionamentos”, explica Luquini.

A direção musical do espetáculo é de Luciano Salvador Bahia, que compôs as músicas durante o processo de concepção do espetáculo. “Fui filmando os ensaios, conversando com o corógrafo e criando a música na medida em que a coreografia ia avançando”, explica Luciano, que conta que fez uma música que traz muitos elementos da sonoridade afro-baiana e do Nordeste do Brasil, mas que ao mesmo tempo utiliza um material sonoro do mundo. “Hora ela é mais brasileira, hora parece europeia, hora tem pitadas de música oriental e árabe. Isso acontece porque a própria história de vida do coreógrafo tem esse caráter planetário, e a coreografia é inspirada em muitos trechos de sua obra ao longo de sua carreira. Classifico a trilha como um produto que deve estar na prateleira da World Musica, mas que depois de ouvida nunca deixará dúvida de que foi feita por um baiano e para uma companhia de dança de baianos”, conclui.

Euro Pires assina o cenário e o figurino, a produção é de Luciano Martins, da Capim Rosa Chá e a coprodução de Maurício Mota, da Cavalo Marinho.  O projeto foi contemplado pelo Editorial Setorial de Teatro 2016 do Fundo de Cultura, com apoio da Secretaria de Cultura, Secretaria da Fazenda e Fundação Cultural do Estado da Bahia.

Sobre Giovanni Luquini

O trabalho de Luquini é um mix de temas urbanos e conflitos interpessoais. Apresentados através da dança contemporânea e da interpretação teatral, seus trabalhos são uma experiência multimídia que incorpora uma coreografia atlética com textos, poesia, vídeos e música original e representam uma fusão de dança e teatro. Há mais de trinta anos Luquini tem trabalhado como performer e coreógrafo no Brasil, Europa e Estados Unidos. Em 1995, após quatro anos de trabalho com Cloud Chamber, Interdisciplinare Dance & Theatre, em Amsterdam, mudou-se para Miami, onde foi professor de dança contemporânea e Afro-Brasileira na FIU-Florida International University. Em 1997, em Miami, fundou a companhia Giovanni Luquini Performance Troupe e teve suas produções apresentadas em diversos festivais pelos Estados Unidos.  Em 1999 sua coreografia recebeu ‘Mensão Honrosa’ do State of Florida Artist Fellowship Award. No ano 2000 foi premiado com o fellowship daquela instituição na categoria de ‘Interdisciplinary Work’.  Em 2002-03 e 2003-04, foi premiado com o Choeographer’s Fellowship por Dade-County Department of Cultural Affairs.

Em paralelo a essas atividades, Luquini apresentou alguns dos seus trabalhos no Brasil, no Panorama da Dança 2000, com Raw Footage; em Salvador, no Mercado Cultural Internacional, apresentou Flagrante Delicto. No V Ateliê de Coreógrafos Brasileiros –  Solos 40, apresentou Idalina, o solo e, em Maio, na abertura da ‘Quarta Que Dança 08’, Slices 1,3 & 7.  Em 2011 realizou a coreografia para peça de teatro A Mulher de Roxo e fez participação como intérprete no X Festival Internacional de Artistas de Rua. Atualmente, de volta ao Brasil, Luquini reside na Gamboa, Vera cruz, Ilha de Itaparica, ensina Dança Contemporânea e ministra workshops de composição coreográfica e capoeira angola aplicada à dança contemporânea em estúdios de dança em Salvador, além de dirigir a Banda CRU Dança, projeto criado para a pesquisa coreográfica. A Banda CRU Dança estreou o espetáculo CRU na Casa de Castro Alves e segue com o trabalho apresentando-se em Festivais locais como ‘Doses de Dança’ e a ‘Mostra de Dança de Lençóis’.

Agenda

O quê: espetáculo Nunca por Acaso

Quando: 21, 25, 26, 27 e 28 de julho e de 4 a 26 de agosto

Onde: Teatro Sesc Senac Pelourinho e Teatro Gregório de Mattos, em Salvador

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]